A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

01/08/2017 09:49

Juiz decreta prisão de acusados de sequestro flagrados com arsenal

Os três moradores de Paranhos e um morador de Amambai foram presos domingo em Dourados, acusados de sequestro

Helio de Freitas, de Dourados
Armas encontradas com quatro homens presos em Dourados (Foto: Arquivo)Armas encontradas com quatro homens presos em Dourados (Foto: Arquivo)

O juiz da 2ª Vara Criminal Marcus Vinícius de Oliveira Elias transformou em prisão preventiva o flagrante de quatro homens detidos na noite de domingo (30) em Dourados, a 233 km de Campo Grande, suspeitos de planejar crimes de pistolagem na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

A quadrilha foi presa pela Polícia Militar após sequestrar e manter em cárcere privado um homem de 25 anos, morador no Jardim Universitário, região norte da cidade. O grupo estaria atrás de informações sobre os autores de um duplo homicídio ocorrido no dia 8 de julho, em um lava-rápido na Rua Coronel Ponciano.

Durante a audiência de custódia realizada ontem à tarde, o juiz Marcus Elias decidiu manter atrás das grades Luiz Carlos Gregol, 39, Alex dos Santos Botelho, 23, Roberto Nunes de Lara, 24, os três moradores em Paranhos, e Gilson Alves Maccari, 23, residente em Amambai.

Na decisão, o juiz afirmou que, além de garantir a ordem pública, a manutenção da prisão vai permitir que a vítima e as testemunhas tenham mais liberdade para dizer o que realmente sabem sobre o caso “e, por consequência, a segregação assegurará a aplicação da lei penal”.

Após a decisão judicial, os suspeitos foram transferidos ainda ontem da cela da 1ª Delegacia de Polícia Civil para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados). O advogado de Gregol, Maurício Nogueira Rasslan, entrou com pedido de relaxamento da prisão.

Duplo homicídio – Luiz Carlos é pai de Gabriel Zanotim Gregol, 18, e irmão de Carlos Domingos Gregol, 38, executados por pistoleiros em um lava-rápido na Rua Coronel Ponciano, no dia 8 de julho deste ano. Ele também seria alvo do atentado, mas escapou ileso.

Gregol e os outros três homens foram presos após a Polícia Militar receber denúncia de sequestro ocorrido no Jardim Universitário, região norte de Dourados.

Equipes da Força Tática começaram a apurar a denúncia e descobriram que a quadrilha tinha sequestro Adriano de Oliveira, 25, e o mantinha em cárcere privado. O grupo queria informações sobre os autores do duplo homicídio do lava-rápido. Vizinhos viram quando homens armados chegaram à casa de Adriano e o colocaram numa Toyota Hilux preta.

Nas proximidades do local, no cruzamento das ruas Passo Fundo e Cider Cerzosimo de Souza, os policiais abordaram a caminhonete. O rapaz sequestrado estava no veículo e contou aos PMs que os acusados foram até sua residência encapuzado e o obrigaram a entrar no carro, questionando sobre a morte de Gabriel e Carlos Gregol.

Em vistoria na caminhonete os policiais encontraram duas toucas ninja, uma corda, fita adesiva, um rádio comunicador, celulares, três pistolas e carregadores com munição. Dentro da caminhonete foi encontrado um controle remoto com a anotação de um endereço.

Os policiais foram até a casa, na Rua Oliveira Marques, no residencial Monte Cristo, onde Luiz Carlos Gregol foi preso após os policiais encontrarem uma pistola calibre 380 com dois carreadores municiados e diversas anotações, apreendidas e encaminhadas a Polícia Civil. Durante a autuação em flagrante, os quatro permaneceram em silêncio.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions