ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 

Interior

Justiça converte em preventiva prisão de trio que executou taxista para roubar

Interrogados, os três amigos confessaram o crime e disseram que a intenção era apenas roubar Devanir

Por Viviane Oliveira | 15/06/2024 12:42
Os três rapazes presos pela morte do taxista (Foto: Direto das Ruas) 
Os três rapazes presos pela morte do taxista (Foto: Direto das Ruas)

Em audiência de custódia, a Justiça converteu em preventiva a prisão em flagrante de Alan Rodrigues da Silva, de 24 anos, Gabriel Filipe Lima Felix, de 28 anos, e Zico José da Silva, de 35 anos. Eles foram presos pelo roubo seguido de morte do taxista Devanir da Silva Santos, de 35 anos, assassinado a tiros na cidade de Ribas do Rio Pardo, distante cerca de 98 quilômetros de Campo Grande. A decisão foi da juíza Eucelia Moreira Cassal.

A investigação apontou que o trio obrigou a vítima fazer transferências bancárias e, após matá-la com três tiros, fugiu com o carro Toyota Corolla.

Interrogados, os três amigos confessaram o crime e disseram que a intenção era apenas roubar Devanir. Eles pediram a corrida e no trajeto, anunciaram o assalto. Contudo, houve desentendimento entre os suspeitos e a vítima, conforme a polícia. O motivo desse desentendimento não foi informado pela polícia.

Foi então que Devanir foi levado para uma área afastada de Ribas do Rio Pardo, onde foi morto a tiros. Foram três disparos, que atingiram a cabeça, mão e perna da vítima, que também estava amarrada pelas mãos com um enforca-gato. O carro da vítima foi localizado em Campo Grande.

Apesar de a Polícia Civil afirmar que houve transferências bancárias suspeitas, a polícia só terá informações sobre valores depois que a Justiça autorizar a quebra de sigilo bancário.

Alan, apontado como atirador que matou o taxista, já tem passagem pelo mesmo crime no Paraná. Gabriel e Zico não possuem ficha criminal, segundo a polícia. Os três vão responder por latrocínio, ocultação de cadáver e posse ilegal de arma de fogo. A defesa de Gabriel já havia se manifestado pedindo a liberdade provisória.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias