ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 26º

Interior

Menino de 13 anos era alvo de atiradores que mataram jovem de 18

Executores de 24 anos foram presos em Rondonópolis (MT), na manhã desta quinta-feira (18)

Por Bruna Marques | 18/04/2024 10:31
Suspeitos por execução foram presos na manhã desta quinta-feira (18), em Rondonópolis (MT) (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Suspeitos por execução foram presos na manhã desta quinta-feira (18), em Rondonópolis (MT) (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Menino de 13 anos era alvo de atiradores faccionados ao Comando Vermelho, que mataram Sabrina Machado, 18, em uma boate na Rua Trindade, região central de Sonora, distante 362 quilômetros de Campo Grande. O crime ocorreu na segunda-feira (15) e dois homens, ambos de 24 anos, foram presos na manhã de hoje, em Rondonópolis (MT).

Conforme revelado pela Polícia Civil, o menino de 13 anos, integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital), era alvo da facção rival. No dia do crime, ele estava na boate e foi atingido com um tiro na perna e sobreviveu. Enquanto Sabrina, funcionária do estabelecimento, foi baleada no tórax e morreu no local. A moça não tinha envolvimento na briga dos faccionados e acabou assassinada por engano.

Na ocasião, três adolescentes de 17 e 16 anos foram apreendidos em flagrante, por terem auxiliado os executores do crime. Eles teriam retirado o alvo da boate, para que os atiradores pudessem atingi-lo.

Durante as investigações, os policiais descobriram que antes de fugir para o estado de Mato Grosso, os executores esconderam a arma utilizada no crime, uma pistola calibre .38, no quintal da casa de um outro adolescente de 16 anos, que também foi apreendido em flagrante.

Após serem identificados, o delegado de Sonora, responsável pelas investigações, representou pela prisão preventiva dos atiradores. Hoje nas primeiras horas da manhã, os suspeitos foram presos, em ação conjunta de policiais da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e da Delegacia de Polícia Civil de Sonora.

No momento da prisão, outro homem foi encontrado com drogas e balança de precisão, diante disso, ele foi detido por tráfico de drogas.

Os executores responderão por homicídio simples, posse irregular de arma de fogo de uso permitido, homicídio qualificado na forma tentada e por promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa.

A ação faz parte da operação “Divisa” deflagrada pela Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, para combater o crime organizado na divisa entre o município de Sonora e o Estado do Mato Grosso.

Sabrina Machado, 18 anos, assassinada na madrugada de segunda-feira (Foto: Direto das Ruas)
Sabrina Machado, 18 anos, assassinada na madrugada de segunda-feira (Foto: Direto das Ruas)

Morte em boate - Os suspeitos, integrantes da facção criminosa Comando Vermelho, tinham como alvo um rival do PCC (Primeiro Comando da Capital). A boate fica na Rua Trindade, região central de Sonora, cidade onde se instalou uma guerra entre as duas facções criminosas pelo domínio do tráfico de drogas. O estabelecimento estava lotado no dia do crime e os dois homens passaram em frente ao local, utilizando uma motocicleta.

A dupla, então, efetuou diversos tiros contra a boate. Houve correria e os seguranças alertaram para que os clientes se abaixassem. Cerca de um minuto depois, acreditando que os pistoleiros haviam fugido, Sabrina se levantou, mas a dupla passou novamente atirando contra a boate. O tiro transfixou a porta e atingiu o tórax da vítima, que morreu no local.

Foram recolhidas 13 cápsulas de pistola 380 na frente da boate. Na manhã seguinte ao crime, cinco pessoas foram levadas para a delegacia por suspeita de envolvimento no tiroteio. Segundo informações divulgadas pela Polícia Civil, quatro dessas pessoas, sendo todas adolescentes, acabaram apreendidas em flagrante pelo crime. Os menores têm 13, dois de 16 e um de 17 anos.

Mortes por engano - Desde o começo do ano, o município de Sonora virou palco de guerra entre facções criminosas. A disputa por domínio do tráfico de drogas na cidade, entre o PCC (Primeiro Comando da Capital) e o Comando Vermelho, já deixou cinco vítimas, mortas por engano, de janeiro a abril. No meio da briga, os moradores "sitiados" pela violência.

As vítimas Tiago Valdecir Sandrin, de 37 anos, Juvenal Santos Silva, 62, João Vitor Oliveira de Souza, 21, Jair Ferreira Jara, 49, e Sabrina Machado, 18 anos, foram assassinados por engano, por criminosos faccionados, que tinham como alvo integrantes de facção rival.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias