A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017

16/08/2017 12:01

Moradores bloqueiam rua em protesto contra corte de “gatos” em invasão

Com apoio da Polícia Miliar, concessionária de energia desligou cem ligações clandestinas; moradores afirmam que não foram avisados

Helio de Freitas, de Dourados
Moradores usam pneus para interditar rua no Parque do Lago, em Dourados (Foto: Adilson Domingos)Moradores usam pneus para interditar rua no Parque do Lago, em Dourados (Foto: Adilson Domingos)

Moradores de uma área invadida no bairro Parque do Lago, região oeste de Dourados, interditaram duas ruas nesta quarta-feira (16) em protesto contra a concessionária Energisa, que cortou pelo menos cem ligações clandestinas no local. Eles acusam a empresa de fazer os cortes sem avisá-los com antecedência e reclamam da prefeitura, que não teria cumprido promessa de regularizar os lotes.

Com pedaços de pau e pneus velhos, os moradores fazem um bloqueio no cruzamento das ruas Orestes Pereira de Matos e Fradique Correia Ferreira, que corta a região oeste da cidade e liga o Parque do Lago à Vila Toscana.

A área é particular e está invadida há pelo menos cinco anos, segundo o morador Joaquim de Matos, 46. “São 50 famílias aqui, têm crianças, têm idosos. Só usamos os ‘gatos’ porque os terrenos não foram regularizados pela prefeitura, por isso não podemos pedir a instalação”, afirmou ele ao Campo Grande News.

“Há dois anos, quando eu mudei para cá, eles passaram pegando o nome das pessoas e fazendo a medição dos terrenos para colocar cavalete e padrão, mas até hoje nada. A culpa não é nossa dessa irregularidade na luz e na água”, afirmou outra moradora, que se identificou como Zilda.

Os moradores afirmam que após os cortes procuraram a prefeitura e um representante do município teria cobrado da concessionária uma explicação sobre a interrupção da rede de energia.

Eles prometem manter o protesto até a chegada de representantes da prefeitura. “Não queremos briga com ninguém, estamos brigando apenas pelo nosso direito. Se não vier ninguém aqui para conversar, vamos montar acampamento no meio da rua”, afirmou a moradora Marlene Maria Romeiro, que está há 3 anos na área ocupada.

“Eles vieram aqui hoje com a tropa policial, cortaram nossa luz e levaram os fios que nós compramos. Pegaram o que era um bem nosso”, reclamou ela.

Energisa – Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a Energisa informou que a ação de combate às ligações clandestinas de energia em Dourados tem como objetivo garantir a segurança das famílias que vivem no local e proteger a rede de distribuição. “A ação envolveu sete equipes de inspeção da concessionária e contou com o apoio do 3º Batalhão da Polícia Militar”, diz a nota.

Segundo a concessionária, foram constatadas e retiradas cem ligações irregulares. “A área invadida existe desde 2014 e a distribuidora já chegou a realizar outras operações no local. Essas ligações consumiram em média 132MWh/ano, o que equivale a R$ 66 mil reais/ano”.

A Energisa explica que, pela resolução 414 da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), as distribuidoras de energia só podem regularizar o fornecimento em áreas invadidas com a permissão do governo, prefeitura ou Ministério Público. (Colaborou Adilson Domingos)




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions