ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Obstetra paga fiança com caminhão e é libertada da prisão por morte de estudante

Claudia Raquel é acusada de envolvimento na morte de Sheiza Ayala, de 21 anos, que ocorreu após procedimento estético

Por Adriano Fernandes | 24/09/2020 23:39
Claudia Raquel Echeguren Chavez durante a chegada na delegacia, nesta quinta-feira (24). (Foto: Ultima Hora) 
Claudia Raquel Echeguren Chavez durante a chegada na delegacia, nesta quinta-feira (24). (Foto: Ultima Hora)

A médica obstetra paraguaia Claudia Raquel Echeguren Chavez foi libertada da prisão após deixar um caminhão como pagamento de sua fiança. Ela é uma das denunciadas pelo Ministério Público de Pedro Juan Caballero pelohomicídio culposo pela morte da estudante brasileira Sheiza Ayala, 21, após passar por procedimento estético para aplicação de colágeno.

A decisão pela soltura da acusado é do  juiz Édgar Gustavo Ramírez, do Juízo Criminal de Garantia 2 de Pedro Juan. Claudia não poderá sair do país enquanto tramita o processo e terá de cumprir outra série de medidas cautelares, conforme o portal Ultima Hora.

Acompanhada de um defensor pública a obstetra se apresentou nesta quinta-feira (24) à Justiça de Pedro Juan Caballero. Outra envolvida no crime, Danilda Victoria Ruiz Diaz Suares, 43, formada em fisioterapia e massoterapia, ainda está foragida. Ela já estava sendo processada por outra morte após procedimento estético clandestino, ocorrida em 2019, em Pedro Juan Caballero.

O caso - Sheiza Ayala, que faria 22 anos em fevereiro de 2021, morreu no dia 17 deste mês após se submeter ao procedimento estético em Pedro Juan Caballero. O produto que teria sido aplicado nela é usado para preenchimento e aumento de volume de glúteos e coxas.Sheiza começou a passar mal no dia seguinte ao procedimento. Levada para o Hospital Regional de Ponta Porã com hemorragia e complicações pulmonares graves, ela morreu na semana passada.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário