ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Paraguai e Brasil retomam ofensiva contra roças de maconha na fronteira

Com apoio de helicópteros da PF, Senad iniciou destruição de lavouras da droga nos arredores de Pedro Juan

Por Helio de Freitas, de Dourados | 19/04/2022 16:52
Policiais paraguaios e brasileiros em área de cultivo de maconha no 1º dia da nova ofensiva (Foto: Divulgação)
Policiais paraguaios e brasileiros em área de cultivo de maconha no 1º dia da nova ofensiva (Foto: Divulgação)

Começou nesta terça-feira (19) mais uma ofensiva de agências paraguaias e brasileiras contra o cultivo de maconha na linha internacional entre o departamento de Amambay e Mato Grosso do Sul.

A 31ª edição da Operação Nova Aliança deve durar pelo menos dez dias e ocorre em áreas de difícil acesso nos arredores de Pedro Juan Caballero, capital de Amambay e cidade separada por uma rua de Ponta Porã (a 313 km de Campo Grande).

Com apoio de helicópteros da Polícia Federal brasileira e da Força Aérea Paraguaia, equipes da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) estão cortando e queimando pés da erva em fase de desenvolvimento.

O trabalho mira também os acampamentos usados para processar a droga. Segundo a agência antidrogas do país vizinho, a produção dessas lavouras é destinada principalmente às facções criminosas brasileiras.

O primeiro dia da operação contou com a presença do superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul Chang Fan, do diretor de investigações criminais e combate ao crime organizado Caio Rodrigo Pellim, do diretor de repressão às drogas João Luiz Caetano de Araújo e do delegado Diego José Santana Gordillo, chefe da Polícia Federal em Ponta Porã.

A cúpula da PF sobrevoou as áreas de cultivo e observou as primeiras ações de erradicação de lavouras. O apoio aéreo é fundamental para localizar as roças cultivadas principalmente em clareiras abertas no meio de matas e no cume de morros.

Nos siga no Google Notícias