ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Pastor ligado ao tráfico de cocaína se entrega à polícia

Irmão de “Tio Rico”, José Insfrán lidera seita religiosa que possui templos na fronteira com MS

Por Helio de Freitas, de Dourados | 16/11/2023 09:45
Policiais colocam colete à prova de bala em pastor, logo após ele se entregar em Asunción (Foto: ABC Color)
Policiais colocam colete à prova de bala em pastor, logo após ele se entregar em Asunción (Foto: ABC Color)

O pastor evangélico José Alberto Insfrán Galeano, 51, procurado por tráfico internacional de cocaína no Paraguai, se entregou na manhã desta quinta-feira (16) na sede do Ministério Público em Asunción.

Um dos alvos da “Operação A Ultranza PY”, deflagrada em fevereiro de 2022, José Insfrán é irmão do narcotraficante Miguel Ángel Insfrán Galeano, o “Tio Rico”, considerado o maior traficante do Paraguai na atualidade, preso no dia 9 de fevereiro deste ano no Rio de Janeiro.

José Insfrán é líder de uma seita religiosa que possui templos e demais imóveis na linha internacional com Mato Grosso do Sul, especialmente em Curuguaty, povoado a 80 km de Paranhos.

Na sede do MP, o pastor respondeu a perguntas de jornalistas paraguaios, negou envolvimento com o narcotráfico e disse ser vítima de perseguição política. “Não acharam droga, não tenho riqueza. São cifras inventadas pelo fiscal [promotor], é tudo montagem”.

Segundo a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), o Clã Insfrán era responsável pelo envio de grandes carregamentos de cocaína para a Europa em sociedade com o traficante uruguaio Sebastián Marset, ainda foragido. Marset e “Tio Rico” são suspeitos de mandar matar o promotor de Justiça Marcelo Pecci, em maio do ano passado, na Colômbia.

José Insfrán admtiu conhecer Marset e disse que o traficante uruguaio frequentava acampamentos de sua igreja. Também afirmou conhecer o ex-deputado Juan Carlos Osorio, outro preso no âmbito da Operação Ultranza. “É membro da igreja, se congregava conosco. Por três vezes foi comigo à Colômbia, conhecer a sede mundial [da igreja]”, afirmou o pastor.

Osorio presidiu a Cooperativa San Cristobal, utilizada para lavagem de dinheiro do narcotráfico. No dia 1º de fevereiro deste ano, três envolvidos com a organização foram presos em Curuguaty, entre eles um vereador paraguaio.

Receba as principais notícias do Estado pelo WhatsApp. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias