ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
DEZEMBRO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Polícia encontra ossada humana na casa de homem preso por outro crime

Suspeita é que restos mortais sejam de mulher desaparecida em novembro

Helio de Freitas, de Dourados | 20/09/2022 14:49
Policiais em frente à casa onde ossada foi encontrada em fossa (Foto: Olimar Gamarra)
Policiais em frente à casa onde ossada foi encontrada em fossa (Foto: Olimar Gamarra)

Ossada humana foi encontrada na manhã de hoje (20) dentro de uma fossa no quintal de residência localizada no bairro Antônia Barbosa, em Rio Brilhante, a 161 km de Campo Grande. A suspeita é de que os restos mortais sejam de Nayara Maria da Silva, de 27 anos, desaparecida desde novembro do ano passado.

A casa onde a ossada e roupas femininas foram encontradas era endereço de Emanuel Rufino Alves, 56. Ele está preso desde dezembro do ano passado por matar um homem em Rio Brilhante e agora passa a ser suspeito também de ter assassinado Nayara e jogado o corpo na fossa.

Após a localização da ossada, o delegado Goethe Arce e a delegada Daniele Felismino, da Polícia Civil, estiveram no local com equipes do SIG (Setor de investigações Gerais) e peritos de Dourados para os levantamentos de rotina.

Daniele Felismino não quis levantar suspeitas sobre a identidade do corpo e disse que só o exame de DNA poderá confirmar se de fato a vítima trata-se da mulher desaparecida há 10 meses. Nayara seria usuária de entorpecentes e teria desaparecido ao sair para comprar droga.

Emanuel Rufino Alves está recolhido no Estabelecimento Penal Masculino de Rio Brilhante pelo assassinato do ex-presidiário Jacson Senher Alcântara, 30. Baleado no rosto no dia 3 de dezembro de 2021, Jacson morreu nove dias depois no Hospital da Vida, em Dourados.

Roupas femininas encontradas em casa onde havia ossada dentro de foça (Imagem: Olimar Gamarra)
Roupas femininas encontradas em casa onde havia ossada dentro de foça (Imagem: Olimar Gamarra)

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público no dia 12 de julho, Jacson era dependente químico e tinha dívida de droga com Emanuel. Além disso, ainda segundo a investigação, os dois viraram inimigos após descobrirem que mantinham relacionamento com a mesma mulher.

Na noite do crime, Emanuel foi de carro e armado até o local onde Jacson estava com a mulher e ficou de tocaia. Assim que o rival saiu da casa, foi alvejado no rosto. Mesmo ferido, Jacson saiu correndo e foi perseguido pelo autor. A vítima conseguiu se esconder em uma igreja evangélica e foi socorrido pelo pastor.

Nos siga no Google Notícias