A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

21/01/2016 10:13

Polícia investiga se homem atirou em delegacia a mando de facção criminosa

Preso logo após descarregar arma, fugitivo da Justiça foi preso e disse que atirou em “cagueta”, mas polícia desconfia da história

Helio de Freitas, de Dourados
Adeilson de Souza tem 15 anos de condenação e pode ter agido a mando de facção criminosa (Foto: Sidney Bronka/94 FM)Adeilson de Souza tem 15 anos de condenação e pode ter agido a mando de facção criminosa (Foto: Sidney Bronka/94 FM)
Marca de tiro na grade de delegacia (Foto: Osvaldo Duarte/Dourados News)Marca de tiro na grade de delegacia (Foto: Osvaldo Duarte/Dourados News)

Os tiros disparados na madrugada desta quinta-feira (21) em frente ao prédio da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) de Dourados podem ter sido um atentado contra Polícia Civil. A história contada por Adeilson Alvarenga de Souza, 31, de que teria atirado em Nelson Luiz da Silva, 34, não convenceu os policiais.

O Campo Grande News apurou que Adeilson seria integrante da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Com 15 anos de condenação por vários assaltos, ele estava foragido do presídio semiaberto e pode ter feito os disparos por raiva de investigadores do SIG (Serviço de Investigações Gerais).

Até agora a polícia não encontrou nenhuma ligação de Adeilson com Nelson da Silva, que afirma também não conhecer o autor dos tiros e nega que tenha falado dele ou feito qualquer denúncia. Nelson da Silva estava na linha de tiro, mas não chegou a ser atingido.

Ao ser preso pela Polícia Militar depois de tentar fugir de moto, Adeilson disse que tentou matar Nelson por ele ser “cagueta”, que na gíria policial significa “dedo-duro” ou informante da polícia.

O atentado – Por volta de 2h da madrugada desta quinta, Adeilson disparou cinco tiros em frente à delegacia, que fica na Rua Cuiabá, área central de Dourados. os disparos atingiram a grade do prédio e o tronco de uma árvore.

Após efetuar os disparos, Adeilson fugiu do local em alta velocidade pela rua Cuiabá, usando uma motocicleta Yamaha de cor preta. Uma equipe da PM perseguiu o autor e o alcançou no cruzamento da rua Porto Alegre com Pureza Carneiro Alves, onde a moto bateu no meio-fio e o condutor caiu.

A polícia aprendeu com Adeilson um revólver calibre 38 com cinco cápsulas deflagradas, quatro munições intactas e três trouxinhas de cocaína.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions