ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  04    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Por foto, família reconhece corpo de jovem degolado

Familiares informaram que corpo é de Wathylla Pereira Soares, vindo de Mato Grosso

Por Helio de Freitas, de Dourados | 04/03/2021 11:01
Wathylla Pereira Soares era de Mato Grosso e foi morto na fronteira (Foto: Reprodução)
Wathylla Pereira Soares era de Mato Grosso e foi morto na fronteira (Foto: Reprodução)

Foi reconhecido como Wathylla Pereira Soares, 26, o homem encontrado morto na tarde de ontem (3) em Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande. A identificação foi feita por familiares através de fotos, mas ainda não foi confirmada pela Polícia Civil. Wathylla tinha extensa ficha criminal, inclusive por assalto em que um policial militar foi baleado no Mato Grosso.

O rapaz foi degolado e o corpo deixado em uma estrada de terra na região do Jardim Monte Alto, próximo à MS-164 e a poucos metros da linha internacional que separa o município de Ponta Porã do Paraguai.

Em contato com funcionários da funerária de Ponta Porã, os familiares residentes no Mato Grosso enviaram foto da certidão de nascimento emitida pelo cartório de Araguaína, em Tocantins, e informaram que estão em viagem para a fronteira.

Já a Polícia Civil informou que o reconhecimento ainda não é oficial. Após terminar a necropsia, o papiloscopista coleta as impressões digitais para fazer a pesquisa no banco de dados. O trabalho deve terminar apenas no período da tarde.

Ficha criminal – Em agosto do ano passado, Wathylla foi acusado de balear o policial militar Bruno Henrique da Silva, 29, durante tentativa de assalto em Várzea Grande (MT). Na época, ele já estava com a prisão decretada pela 2ª Vara Criminal e Execuções Penais de Araguaína.

A ocorrência policial do assalto na cidade mato-grossense relatou que o PM Bruno foi abordado no bairro Mangabeiras enquanto fazia serviço de manutenção e instalação de segurança eletrônica na companhia de um amigo.

Os dois estavam em uma Volkswagen Parati quando foram abordados pelo bandido. Bruno sacou a arma e trocou tiros com o assaltante. O militar e o amigo foram baleados. O bandido também ficou ferido, mas conseguiu correr para o mato, onde foi localizado por policiais militares. Wathylla se passou pelo irmão, Wakilla Pereira Soares.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário