A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Junho de 2017

31/05/2014 09:34

Presídio em Jardim ganha 10 novas celas e número de vagas aumenta 375%

Mariana Lopes
Nesta semana, a obra no presídio Máximo Romero foi vistoriada por autoridades da Segurança do Estado (Foto: Agepen)Nesta semana, a obra no presídio Máximo Romero foi vistoriada por autoridades da Segurança do Estado (Foto: Agepen)

Até o final de setembro deste ano, serão entregues as 10 novas celas que estão sendo construídas no presídio Máximo Romero, de Jardim. Com a ampliação, o número de vagas irá aumentar 375%, ou seja, a capacidade atual que é para 24 presos irá subir para 104.

Segundo o diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), coronel Deusdete de Oliveira, a obra está sendo construída em uma área de 250 metros quadrados, no pátio da unidade penal, e o custo total não deve ser de aproximadamente R$ 300 mil.

De acordo com o promotor Gevair Ferreira Lima Júnior, da comarca de Jardim, o Ministério Público e o Poder Judiciário estão revertendo ao sistema penitenciário, os recursos de transações penais, que são doados através dos Conselhos da Comunidade. A prefeitura doou os tijolos.

Conforme esclarece o coronel Desdete, a construção está sendo feita por 11 internos do regime fechado, que ganham remissão de pena, e dois do regime semi-aberto, que trabalham como pedreiros e são remunerados. “Com isso, seguramente faremos uma economia de no mínimo R$ 2 milhões”, explica o diretor-presidente da Agepen.

Ao todo, estão sendo criadas 1.450 novas vagas em presídios do interior de Mato Grosso do Sul. “Temos obras também em Ponta Porã, com 100 novas vagas, Dourados, com 750 vagas, sendo 500 para homens e 250 para mulheres, mais 100 em Amambai, Corumbá, Jataí e Coxim”, ressaltou o coronel Deusdete.

Segundo secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, as vagas serão criadas ainda este ano e que até o final de 2015 devem ficar prontos também os três novos presídios que serão construídos no Complexo da Gameleira, em Campo Grande, com recursos do Governo Federal e contrapartida do Estado, com capacidade para 1.600 presos.

Nesta semana, a obra no presídio Máximo Romero foi vistoriada pelo secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, o diretor-presidente da Agepen, coronel Deusdete de Oliveira, e o diretor de operações da Agepen, Pedro Carrilho de Arantes.

Conforme nota da assessoria de imprensa da Agepen, a ampliação tem parceria entre a Agepen com os Conselhos da Comunidade de Jardim, Nioaque, Bonito, Porto Murtinho e Bela Vista, Poder Judiciário, Ministério Público e Prefeitura Municipal de Jardim.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions