A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019

20/08/2019 18:31

Preso, gerente nega envolvimento no desaparecimento de servidora

O suspeito está preso temporariamente desde ontem, quando se apresentou a polícia da Capital

Geisy Garnes e Aletheya Alves
Nathália está desaparecida há 35 dias  (Foto: Reprodução Facebook)Nathália está desaparecida há 35 dias (Foto: Reprodução Facebook)

O gerente José Romero, de 37 anos, preso pelo envolvimento no sumiço da funcionária pública Nathália Alves Corrêa Baptista, prestou depoimento nesta terça-feira (20) e mais uma vez, se declarou inocente. Para a polícia Civil de Porto Murtinho – a 431 quilômetros de Campo Grande – a mulher de 27 anos pode ser vítima de crime passional.

Nathália está desaparecida há 35 dias e agora as equipes da Polícia Civil do município e da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes do Homicídio) trabalham juntas para encontrá-la.

Ao Campo Grande News, o delegado Márcio Shiro Obara, titular da delegacia especializada detalhou que José deu respostar evasivas, mas manteve a versão dada nos primeiros depoimentos à polícia, no início da investigação, e se declarou inocente. O suspeito, que é gerente de uma pousada da região, está preso temporariamente desde ontem, quando se apresentou a polícia da Capital.

Ele se tornou alvo das investigações depois que a quebra de sigilo telefônico de Nathália mostrou que ele foi à última pessoa a ligar e enviar mensagens para ela antes do desaparecimento. Os dois tinham envolvimento amoroso e se encontravam com frequência na pousada onde ele trabalhava.

No primeiro depoimento, José mentiu sobre os horários das mensagens enviadas à servidora, o que chamou atenção dos investigadores. Por conta disso, a quebra do sigilo telefônico do gerente foi feita, além da apreensão do celular dele e perícia em dois dos quartos da pousada em que trabalha.

Outro detalhe que despertou a suspeita do envolvimento dele no desaparecimento, foi a apreensão do carro de Nathália em frente à casa do padrasto dela, que fica a poucos metros da pousada, ponto exato em que testemunhas relataram que ela estacionava sempre que ia se encontrar com o gerente.

Durante as investigações, José ainda fugiu de Porto Murtinho e só foi encontrado nesta segunda-feira (19), quando procurou a DEH para se apresentar. O caso segue em investigação.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions