A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

26/05/2016 15:16

Preso por porte de arma, vereador paga fiança de R$ 7 mil e ganha liberdade

Eyde Leite, vereador em Caracol, passou a noite em uma cela da delegacia de Bela Vista; ele foi preso durante investigações sobre assassinato do pistoleiro Betão e um policial civil, em abril

Helio de Freitas, de Dourados
Eyde Leite pagou finança de oito salários mínimos e deixou prisão (Foto: Divulgação)Eyde Leite pagou finança de oito salários mínimos e deixou prisão (Foto: Divulgação)

Preso ontem por porte ilegal de arma em sua casa, no município de Caracol, a 364 km de Campo Grande, o vereador Eyde Jesus Rodrigues Leite (PSL), deixou a cela da delegacia de Polícia Civil de Bela Vista por volta de meio-dia desta quinta-feira (26).

O relaxamento da prisão em flagrante foi determinado pelo juiz da comarca, Vinicius Pedrosa Santos, após arbitrar fiança de oito salários mínimos – R$ 7.040,00 – que foi paga hoje de manhã.

Eyde foi preso ontem por policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros) e da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio) que investigam o assassinato do policial civil Anderson Celin Gonçalves da Silva, 36, e do pistoleiro Alberto Aparecido Roberto Nogueira, 55, o Betão. Os dois foram mortos e queimados no dia 21 de abril deste ano, em Bela Vista.

O filho de Eyde, Oscar Ferreira Neto, é procurado como um dos autores do duplo homicídio. Os policiais estavam à procura de Oscar quando encontraram a arma na casa do vereador.

Outros dois homens pessoas foram citados como envolvidas da morte de Betão e do investigador da Polícia Civil. Um deles foi preso ontem e levado para a Capital. Sua identidade ainda é desconhecida.

Guilherme Gonçalves Barcelos, 31, morador em Bela Vista, foi preso quarta-feira à noite em Campo Grande e ontem de manhã foi encontrado morto em uma cela do Garras – ele teria se enforcado com uma calça jeans.

O advogado de Eyde Leite, Marcelo Calvano, informou hoje ao Campo Grande News que o vereador foi preso por porte ilegal de arma e que não teria envolvimento nas mortes.

Segundo ele, que também é vereador em Bela Vista, quando os policiais chegaram à casa de Eyde Leite encontraram um revólver calibre 357, de uso restrito. “A arma pertencia ao pai do Eyde, um revólver antigo”, afirmou Calvano.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions