A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 15 de Setembro de 2019

14/12/2017 15:30

Recapeamento iniciado duas vezes está parado de novo, há nove dias

Helio de Freitas, de Dourados
Trecho da Marcelino Pires onde secretário iniciou recapeamento no dia 5; obra parou no mesmo dia (Foto: Helio de Freitas)Trecho da Marcelino Pires onde secretário iniciou recapeamento no dia 5; obra parou no mesmo dia (Foto: Helio de Freitas)

Autorizado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no dia 24 de novembro ao custo de R$ 22 milhões, o recapeamento das avenidas centrais de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, continua patinando. Retomado no dia 5 deste mês, com a promessa de que seria “para valer”, o serviço parou de novo e atualmente não tem nenhuma equipe trabalhando nas obras.

Há nove vias, o secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Migliori, esteve em Dourados e chamou a imprensa para uma entrevista coletiva na Avenida Marcelino Pires, ao lado do Parque Antenor Martins, para anunciar o início de fato do recapeamento.

As empreiteiras contratadas pelo governo do Estado colocaram equipes na Marcelino e na Joaquim Teixeira Alves para iniciar o remendo do asfalto. Miglori anunciou que daquela data em diante o serviço não seria paralisado. Segundo ele, a programação previa apenas uma pausa no período de 20 de dezembro a 5 de janeiro, para não prejudicar o movimento na área central.

Entretanto, moradores e comerciantes dessa região afirmam que o serviço só foi feito na tarde de 5 de dezembro, enquanto Marcelo Miglori estava no local. “No mesmo dia o pessoal foi embora e não voltou mais. Taparam só os buracos no primeiro quarteirão da Marcelino”, afirmou um morador do Jardim Clímax.

Só para foto – Situação semelhante tinha acontecido no dia 24 de novembro, durante a agenda do governador a Dourados. As três empreiteiras interditaram as avenidas Weimar Gonçalves Torres, Joaquim Teixeira Alves e Marcelino Pires, começaram a fazer o recapeamento em frente à Praça Antônio João. Alguns vereadores chegaram a tirar fotos na frente das máquinas, mas o serviço parou no mesmo dia.

No dia 29 de novembro, a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), responsável pela obra, disse que o recapeamento não tinha começado e que durante a visita do governador foi feita a “parte formal” de início dos trabalhos. Informou ainda que empresas ainda iriam se mobilizar em definitivo para iniciar os trabalhos.

Ontem (13), a assessoria da Agesul informou ao Campo Grande News que as empreiteiras ainda estão montando os canteiros de obras e que hoje retomariam o serviço, o que ainda não aconteceu.

Recapeamento milionário – A empresa Concrenavi Concreto Usinado, de Naviraí, venceu a licitação para recapear 7,4 km de extensão da Marcelino, do Parque Antenor Martins, na região oeste, até o Monumento ao Colono, na saída para Campo Grande.

Na Weimar Torres serão gastos R$ 7,3 milhões. A NK Construtora Ltda. foi a vencedora. A empresa Planacon Construtora Ltda. venceu a licitação e terá R$ 3,3 milhões para recuperar 7,8 km de extensão da Joaquim Teixeira Alves.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions