A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019

20/08/2019 09:21

Sem transporte escolar, moradores protestam agora na frente da prefeitura

Ontem à noite, moradores de sitiocasno perímetro urbano foram à Câmara de Vereadores, mas serviço continua suspenso

Helio de Freitas, de Dourados
Moradores de sitiocas, entre eles alunos, durante bloqueio da Coronel Ponciano, em Dourados (Foto: Wellington Morais)Moradores de sitiocas, entre eles alunos, durante bloqueio da Coronel Ponciano, em Dourados (Foto: Wellington Morais)

Moradores de sitiocas e outros bairros distantes do centro da cidade voltaram a protestar nesta terça-feira (20) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Eles cobram da prefeitura a retomada do transporte de estudantes até as escolas da cidade. Pelo menos 150 crianças moram nesses bairros, localizados nas margens da BR-163, na saída para Caarapó.

O protesto ocorre em frente à sede da prefeitura, onde fica o gabinete da prefeita Délia Razuk (sem partido). Os manifestantes bloquearam os dois lados da pista. Uma das três mais movimentadas na cidade, a via liga a BR-163 à Avenida Marcelino Pires.

Na manhã de ontem, os moradores bloquearam a BR-163 na saída para Caarapó. À noite, protestaram na sessão da Câmara de Vereadores e foram recebidos pela Comissão de Educação da Casa.

O vereador Olavo Sul (Patriota), que acompanha o grupo, disse que a prefeitura já sinalizou que vai retomar o transporte dos alunos após a manutenção dos 15 ônibus próprios. “Por conta da vulnerabilidade da comunidade, onde muitos alunos estão perdendo aula porque os pais não podem levá-los até as escolas, fomos informados que a prefeitura vai manter o transporte”, afirmou ele ao Campo Grande News.

Ontem, durante o bloqueio da rodovia, o secretário municipal de Educação Upiran Jorge Gonçalves disse que a prefeitura não poderia continuar transportando os alunos das sitiocas, porque os bairros ficam no perímetro urbano e o serviço existe apenas para transporte de estudantes da zona rural.

Hoje, no entanto, a versão é de que o serviço será mantido e retomado assim que a prefeitura consertar os ônibus. “Fomos informados que a prefeita [Délia Razuk] vai assinar a dispensa de licitação para a manutenção dos ônibus nesta manhã”, declarou Olavo Sul.

Além do serviço terceirizado feito por empresa particular que percorre a maior parte da zona rural do município, a prefeitura mantém 15 ônibus próprios para atender os bairros distantes do perímetro urbano e os distritos. Por falta de manutenção, os ônibus estão parados e pelo menos 800 estudantes estão perdendo aula.

Moradores durante bloqueio da Avenida Coronel Ponciano, nesta manhã (Foto: Wellington Morais)Moradores durante bloqueio da Avenida Coronel Ponciano, nesta manhã (Foto: Wellington Morais)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions