ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Servidor preso teve exoneração negada e está afastado há 2 meses, diz advogado

Ele foi um dos presos preventivamente na segunda fase da Operação Tromper, do Gaeco

Cassia Modena e Bruna Marques | 21/07/2023 11:12
O advogado do servidor, João Carlos Gomes, disse que "foi pego de surpresa" (Foto: Paulo Francis)
O advogado do servidor, João Carlos Gomes, disse que "foi pego de surpresa" (Foto: Paulo Francis)

Investigado e preso preventivamente a mando de decisão judicial obtida pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), o servidor público do setor de compras e licitações da Prefeitura de Sidrolândia, Tiago Basso da Silva, está afastado há dois meses da função e tentou pedir exoneração. Foi o que afirmou seu advogado à reportagem, nesta sexta-feira (21).

Responsável pela defesa de Tiago, João Carlos Gomes disse ter sido "pego de surpresa com a prisão". Ele explicou que o servidor está de licença médica. "Está fazendo tratamento médico. Depressivo, após esses fatos todos investigados", detalhou o advogado.

Tiago chegou a pedir exoneração do cargo, mas a prefeita Vanda Camilo (PP) o negou, também de acordo com Gomes. O Campo Grande News questionou a informação à prefeita e à assessoria de imprensa da prefeitura, mas não teve sucesso. O espaço segue aberto.

Este mês, Tiago recebeu R$ 1,9 mil em remuneração da prefeitura, como mostra o Portal da Transparência da Prefeitura de Sidrolândia. O rendimento mensal é o mesmo desde janeiro.

De moletom cinza, servidor se esconde atrás de policial do Gaeco. (Foto: Paulo Francis)
De moletom cinza, servidor se esconde atrás de policial do Gaeco. (Foto: Paulo Francis)

Operação do Gaeco - Tiago é um dos investigados da Operação Tromper do Gaeco, iniciada em maio deste ano. O objetivo do grupo é desarticular um esquema de sonegação fiscal, peculato, associação criminosa e fraudes em licitações na Prefeitura de Sidrolândia, que supostamente favoreceu as empresas Rocamora Serviços de Escritórios, R&C Comércio Serviços e Manutenção Ltda, Everton Lúcero e 3M produtos.

Juntas, as empresas citadas receberam mais de R$ 13 milhões da administração municipal. A operação está na segunda fase e as investigações continuam. Nesta sexta-feira, policiais apreenderam documentos e computadores, de acordo com informações do Gaeco, e estiveram na sala da prefeita.

O mandado de prisão preventiva contra ele foi expedido em 26 de junho, segundo o advogado do servidor, mas cumprido somente nesta sexta-feira. Além de Tiago, foram presos os empresários Roberto Valençuela, proprietário da R&C Comércio Serviços, e Ueverton Macedo, conhecido como "Frescura", e proprietário da mecânica Everton Lucero.

As três prisões marcam a segunda fase da Tromper. Um quarto mandado foi expedido e deverá ser cumprido pelo Gaeco, conforme o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). A reportagem está em Sidrolândia acompanhando os desdobramentos da operação.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias