ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  21    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Sindicato vai pedir indenização para vítimas de acidente em curtume

Por Nadyenka Castro | 01/02/2012 16:57

Advogado diz que vai ingressar na Justiça com ação coletiva. Ele declara ainda que as vítimas não estavam usando máscaras

Bombeiros e profissionais da Cetesb estiveram no Marfrig nesta manhã. (Foto: Marlon Ganassin)
Bombeiros e profissionais da Cetesb estiveram no Marfrig nesta manhã. (Foto: Marlon Ganassin)

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Couro, Pele e Artefatos em Couro irá pedir indenização para todas as vítimas do acidente ocorrido na manhã dessa terça-feira no curtume do frigorífico Marfrig, em Bataguassu, a 335 quilômetros de Campo Grande.

Advogado do Sindicato, Wender Rodrigues Santos explica que na próxima semana irá estar com cópias do inquérito em mãos e então irá ingressar com ação coletiva pedindo indenização.

O Sindicato foi informado pelo Marfrig que o funeral e o enterro dos quatro trabalhadores que morreram foram pagos pelo seguro da empresa.

De acordo com Wender, a categoria descarta greve e qualquer outra forma de protesto em relação ao acidente e pede que a Polícia Civil analise a política de proteção coletiva e individual dos funcionários.

O advogado afirma que os funcionários que morreram não estavam usando máscaras. “Se tivessem usando não teriam morrido”, diz. Segundo ele, a não utilização de equipamentos de segurança é problema em quase todas as empresas. “A gente está tentando resolver o problema”, afirma.

O acidente químico no curtume do frigorífico aconteceu quando um caminhão descarregava o ácido coramin - usado para retirar pelos de couro - em um tanque.

Houve reação química entre o coramin e outro produto que havia no recipiente e um gás tóxico foi exalado, matando os quatro trabalhadores e intoxicando outras 24, destas, 21 já tiveram alta e três continuam internadas em Presidente Prudente, interior de São Paulo.

A Prefeitura de Bataguassu decretou luto oficial por três dias. A PMA (Polícia Militar Ambiental) aplicou multa de R$ 1 milhão à empresa.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário