A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/02/2016 18:07

STF suspende reintegração e índios mantêm ocupação na Fazenda Coqueiro

Thiago de Souza
Índios em área de 12 mil hectares, que seria desocupada  por ordem da Justiça. (Foto: Eliel Oliveira)Índios em área de 12 mil hectares, que seria desocupada por ordem da Justiça. (Foto: Eliel Oliveira)

Liminar emitida hoje (21), pelo STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu a reintegração de posse na Fazenda Coqueiro, pertencente a Agropecuária Helena Hossri, ocupada por cerca de 20 famílias Guarani Kaiowá, entre os municípios de Douradina e Rio Brilhante. A retirada dos indígenas da área, de aproximadamente 12 mil hectares, aconteceria nessa segunda-feira (22). A medida atendeu pedido da Funai (Fundação Nacional do Índio), em Dourados.

Segundo o coordenaddor regional da Funai, em Dourados, Vander Aparecido Nishijima, há cerca de dois anos foi publicado um relatório de identificação como Terra Indígena Tajasu Iguá.

O processo, que estava caminhando para chegar à fase de portaria declaratória, sofreu um atraso, pois produtores rurais ingressaram com ação no TRF 3ª Região, em São Paulo, pedindo anulação do processo.

O pedido dos agropecuaristas foi analisado, mas a Justiça decidiu pela continuidade do processo, até que a terra seja homologada e definitivamente entregue aos indígenas.

Ainda segundo o Nishijima, não há confronto na área, porém indígenas relataram a presença de segurança privada na propriedade. "Isso aí gera um clima de tensão na região", afirmou.

Depois da entrada dos indígenas na Fazenda Coqueiro, houve um acordo entre os proprietários e a Funai de que os índios ocupariam cerca de 60 hectares. Segundo Nishijima, o acordo vigorou por um tempo e depois nada mais foi conversado. 

Na semana passada, os indígenas, que ocupavam cerca de 75 hectares, prometeram resistir à reintegração de posse, caso ela realizada. 

O coordenador da Funai disse que a reintegração de posse seria cumprida pela Polícia Federal e Polícia Militar. Segundo ele as forças de segurança já foram informadas do cancelamento da ação. 

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions