ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, DOMINGO  26    CAMPO GRANDE 13º

Interior

Suspeito de atear fogo em carro de advogado com corpo dentro é preso

Corpo pode ser do advogado criminalista Valmir Leite Júnior, 33 anos, dono do veículo

Luana Rodrigues e Helio de Freitas | 17/02/2017 18:25
Juliander de Oliveira Alcântara, 24 anos, na chegada a delegacia, em Dourados. (Foto: Sidnei Bronka/ 94FM)
Juliander de Oliveira Alcântara, 24 anos, na chegada a delegacia, em Dourados. (Foto: Sidnei Bronka/ 94FM)

Policiais do SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil prenderam na tarde desta sexta-feira (16), Juliander de Oliveira Alcântara, 24 anos. O rapaz é um dos suspeitos de atear fogo a um Ford Fusion, encontrado em chamas, com um corpo dentro do porta-malas, em Dourados – município distante cerca de 233 quilômetros de Campo Grande. A suspeita é de que a vítima seja o advogado criminalista Valmir Leite Júnior, 33 anos.

De acordo com informações apuradas pelo Campo Grande News, Juliander teria contado à polícia que saiu com o advogado para conversar na quarta-feira (15). Depois de consumirem bebida alcoólica, os dois teriam discutido.

Por conta da briga, o suspeito disse que pediu para o advogado levá-lo até o sítio do avô dele, que fica na BR-376. No caminho, Valmir teria parado o carro para urinar, momento em que Juliander o esfaqueou. No local, a polícia teria encontrado uma borracha que pode pertencer ao paralamas do carro da vítima.

Depois do crime, o suspeito teria colocado o corpo da vítima no porta-malas do carro e ido até um posto de combustíveis, comprar gasolina para incendiar o veículo com o corpo da vítima dentro, na tentativa de despistar a polícia.

O Ford Fusion prata, ano 2012, placa de São Paulo, foi encontrado na manhã desta quinta-feira (16), às margem da estrada que liga os bairros Jardim Guaicurus e Estrela Verá, na região sul de Dourados. O carro foi totalmente queimado e o corpo estava no porta-malas. Foi preciso chamar os bombeiros para apagar o incêndio.

Em depoimento à polícia, familiares do advogado não revelaram muitos detalhes sobre a vida do rapaz, considerado muito “fechado” e que falava pouco sobre o trabalho.

O Campo Grande News tentou falar com o advogado responsável pela investigação do caso, Mateus Zampieri, mas as ligações não foram atendidas.

Em nota divulgada nesta quinta-feira, o presidente estadual da OAB, Mansour Karmouche, cobrou “apuração rigorosa” sob as circunstancias em que ocorreu a morte do advogado.

Velório - Os restos mortais encontrados no Ford Fusion estão sendo velados na tarde desta sexta (17), no auditório da Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Dourados.

A decisão foi tomada pela família do advogado, que mesmo sem a confirmação de exames, acredita que o corpo era do advogado.

O pai dele, o fotógrafo Valmir Leite, disse em depoimento à polícia que o filho saiu de casa na manhã de quarta para levar um cliente que iria se apresentar em Ponta Porã e para aulas do curso de medicina que frequentava em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Horas após o carro ser encontrado em chamas em uma estrada entre os bairros Jardim Guaicurus e Estrela Verá, os restos mortais foram encaminhados pela polícia ao Instituto de Análises Laboratoriais Forenses, em Campo Grande, juntamente com amostras dos pais, para fazer o exame de DNA.

O delegado regional Lupérsio Degerone afirmou ontem ao Campo Grande News que solicitaria urgência no resultado, mas o exame só deve ficar pronto na terça-feira (21).

A 4ª Subseção da OAB em Dourados fica na Rua Onofre Pereira de Matos, no Centro, próximo ao Fórum. A pedido dos familiares, a Polícia Civil providenciou todos os documentos para a liberação do corpo para o velório e sepultamento.

Nos siga no Google Notícias