ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 15º

Interior

Vacina contra gripe atrasa em aldeias por falta de seringas e agulhas

Denúncia foi feita ao MPF por índios que há 8 dias ocupam Polo Base do Dsei em Dourados

Por Helio de Freitas, de Dourados | 11/05/2021 11:54
Caixas com seringas e agulhas entregues ao Polo Base de Dourados (Foto: Reprodução)
Caixas com seringas e agulhas entregues ao Polo Base de Dourados (Foto: Reprodução)

A campanha de vacinação contra a gripe está atrasada nas aldeias, acampamentos e assentamentos indígenas atendidos pelo Polo Base do Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena) de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande.

Apesar de os povos indígenas serem incluídos na primeira etapa de imunização, iniciada no dia 12 de abril, um mês depois a vacinação ainda não começou nas aldeias de Dourados, Maracaju e Douradina, onde vivem pelo menos 18 mil pessoas.

O atraso na vacinação foi denunciado hoje (11) ao MPF (Ministério Público Federal) por lideranças indígenas que há oito dias ocupam a sede do Polo Base em Dourados para exigir a demissão da chefe local do Dsei, Sidneide Alves Boa Sorte.

Conforme a denúncia, à qual o Campo Grande News teve acesso, a Secretaria de Saúde de Dourados – cumprindo o calendário nacional – repassou ao Polo Base de Dourados um quantitativo inicial de 4.500 doses para início da campanha no dia 12 de abril.

“No entanto, a campanha não iniciou para a população indígena, se restringindo apenas aos profissionais de saúde do Polo Base, por falta de planejamento do Dsei/MS em disponibilizar as seringas e agulhas necessárias”, afirma a denúncia.

Segundo as lideranças indígenas, devido à falta dos insumos básicos, a Secretaria Estadual de Saúde repassou ao Dsei 40 mil unidades de seringas e agulhas no dia 19 de abril. Entretanto, somente no dia 3 de maio as seringas e agulhas chegaram ao Polo Base.

“Várias caixas estavam danificadas devido à umidade, com sinais de terem sido molhadas, pois foram transportadas na carroceria de caminhonete. Segundo relatou o motorista, no percurso Campo Grande-Dourados pegou tempo chuvoso. Exigimos mais compromisso dos gestores do Dsei e do Polo Base de Dourados com a saúde das populações indígenas”, afirma o documento.

Na denúncia, eles pedem providências por parte do MPF para responsabilizar os gestores da saúde indígena pelo atraso na imunização contra a influenza por falta de agulhas e seringas. “As vacinas estão há um mês paradas na geladeira no Polo Base”.

As lideranças indígenas também cobram providências quanto à demora de duas semanas para despachar para o Polo Base de Dourados as seringas e agulhas doadas pelo Estado e quanto à falta de responsabilidade e zelo no transporte dos insumos.

Outras denúncias – Essa é a terceira denúncia feita pelos índios em uma semana de ocupação. Na semana passada eles denunciaram sucateamento da frota destinada a atender as aldeias, inclusive duas unidades móveis de atendimento odontológico seminovas que apodrecem ao relento no pátio do Dsei em Dourados.

Lideranças e profissionais de saúde que protestam no Polo Base localizado na Avenida Joaquim Teixeira Alves também denunciaram sumiço de doses da vacina contra covid-19 destinadas ao Distrito Especial.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário