A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

25/11/2010 16:09

Vereadores de Chapadão gastam R$ 205 mil em publicidade

Fernanda França

Seis dos nove vereadores de Chapadão do Sul estão sendo investigados por mau uso do dinheiro público, em Ação Civil pública impetrada pelo MPE (Ministério Público Estadual).

Pelas investigações reveladas no inquérito, os parlamentares “torraram” pelo menos R$ 205 mil em apenas quatro meses somente com publicidade.

Uma agência de publicidade foi contratada pela Casa, por meio de licitação, ao custo de R$ 280 mil, “para divulgar atos e ações da Câmara de Chapadão do Sul”.

O que mais chama a atenção é que este valor é estimado, ou seja, a publicidade dos vereadores pode custar um pouco mais ou um pouco menos que este valor.

Somente entre abril e julho deste ano foram repassados R$ 162 mil à agência. Conclui-se, portanto, que mais da metade do valor estipulado já foi gasto em apenas três meses.

Pelos cálculos da promotoria, se a perspectiva de gastos prosseguir neste nível até o fim do ano, a publicidade destes vereadores na mídia pode custar pelo menos R$ 40 mil a mais do que o que foi estimado.

Outra irregularidade apontada pelo promotor de Justiça Marcus Vinicius Tieppo Rodrigues é o mau uso da verba indenizatória de R$ 3,5 mil mensais.

Além de usar os serviços da agência de publicidade contratada, os vereadores também estão usando a verba indenizatória para autopromoção.

O pior é que, dentre as empresas remuneradas pelos parlamentares, estão algumas que realizam o mesmo tipo de serviço da que venceu a licitação da Câmara.

Os seis vereadores acusados “torraram” 43 mil em verbas indenizatórias somente com publicidade. Mais intrigante ainda é o fato de que empresas de comunicação do estado de Goiás estão sendo remuneradas com este dinheiro.

O promotor diz ainda na Ação Civil Pública que a verba indenizatória não estava sendo utilizada para cobrir gastos custeados pelos vereadores com patrimônio particular.

Vários serviços não relacionados ao mandato desses vereadores vinham sendo pagos com a verba indenizatória, tais como abastecimento de veículos particulares, manutenção e revisão dos carros dos próprios vereadores, publicidade e contas telefônicas.

Os vereadores apontados na Ação Civil Pública são Nilzete Pereira Ribeiro, Elso Gilmar Bandeira, José Humberto Freitas, Maiquel de Gasperi, Flávio Teixeira Sanches e Eduardo Belotti, presidente da Casa.

A promotoria entrou com pedido de tutela antecipada para que Belotti seja afastada da presidência, o que deve ser julgado, no máximo, até o início da próxima semana.

Se os vereadores forem considerados culpados, podem perder o cargo, os direitos políticos e ainda terão de ressarcir os cofres públicos.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions