A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

02/02/2011 16:49

Corregedoria põe em sigilo investigação contra juíza de Chapadão do Sul

Marta Ferreira

Divulgação de nome foi equívoco, segundo associação de magistrados

A sindicância aberta contra a juíza Luciane Buriasco, de Chapadão do Sul, para apurar reclamações contra o tratamento dado por ela a funcionários, advogados e pessoas que são partes em ações, vai correr de forma sigilosa. A informação foi divulgada nesta tarde em nota divulgada pela Amamsul (Associação de Magistrados de Mato Grosso do Sul).

A entidade informou que a portaria que abriu a sindicância, publicada ontem no Diário da Justiça, trouxe o nome por extenso da juíza em razão de um “equívoco”. Conforme a Amamsul, haverá apuração de quem foi o responsável pelo erro.

Na nota, assinada pelo presidente da entidade, Olivar Augusto Roberti Coneglian, ele diz que é comum que magistrados sejam chamados a prestar esclarecimentos à Corregedoria e que, por determinação legal, os procedimentos devem ser sigilosos, para não expor os envolvidos.

A Corregedoria não costuma divulgar nem mesmo nome de juízes acusados de crimes graves.

“Como no caso foi publicado o nome da Juíza no Diário de Justiça, isso se deu por equívoco de alguém que ainda não foi identificado, cuja responsabilidade será apurada”, afirma a nota da Amamsul.

O texto prossegue prestando apoio à magistrada, classificada como “pessoa séria e responsável”, e afirmando que a divulgação do nome dela não pode macular a imagem da juíza.

Em entrevista ao Campo Grande News, Luciane Buriasco disse hoje que não adotaria qualquer medida contra a Corregedoria, apesar da divulgação do nome. Segundo ela, desde que o caso foi tornado público, prefere que a partir de agora, as apurações sejam feitas às claras.

Apoio-* Em Chapadão do Sul, o promotor que atua na vara onde a juíza trabalha, Marcus Vinicius Tieppo Rodrigues, divulgou nota em que nega qualquer dificuldade de relacionamento com a juíza.

Da mesma forma, a representante da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) na cidade, Maria Ivone Aguiar Gnoatto, informou não ter recebido qualquer denúncia contra a juíza.



Parece-me que quando surge algum escandalo envolvendo alguem do judiciario surge, logo, muitos defensores na esperanca de que quando precisarem da magistrada obterao exito no que precisarem. Baita "puxasaquismo"! Por causa de pessoas assim nunca se divulga crimes de juizes, advogados e desembargadores. Nao defendam uma magistrada que mal conhecem, como diz o ditado - " onde ha fogo ha fumaca", pois amanha poderao se envergonharem por ter defendido uma magistrada que pelo jeito nao tem tao boa conduta assim, caso contrario nao surgiria nenhuma investigacao. Porque investigar uma autoridade publica se ela e tao correta? Poupem-me de tudo isso. A Justica deve valer ate nesse meio, que pelo jeito sao bem unidos. Deixem q os casos sejam apurados e a verdade vira a tona e, entao tomem partido. Raramente um magistrado e investigado e qdo isso acontece surgem pessoas para defender sem ao menos saberem de nada. PARABENS AO TRIBUNAL DE JUSTICA DE MATO GROSSO DO SUL! A JUSTICA SEJA FEITA. ISTO ESTA ACONTECENDO PQ O TJ MOSTRA MAIS UMA VEZ SUA COMPETENCIA E MAIS UMA VEZ MOSTRA QUE NAO PASSA A MAO NA CABECA DE QUEM COMETE ERROS. SE ERROU TEM Q PAGAR. IMPRENSA APUREM OS FATOS
 
ANA FLAVIA GOESH em 03/02/2011 10:26:05
A citada juíza passou por Bonito.Dizem que não era própriamente uma "lady".A sindicância é sigilosa.A falta de educação é pública.Agora,coitado de quem praticou o "crime" de publicar o nome da juíza.E também,começam a aparecer defensores de todos os lados.Êta povinho corporativo.Vamos defender agora,porque não sabemos do amanhã,não é mesmo?O Judiciário pode não ser o melhor e mais eficiente dos Três Poderes,mas se defendem que é uma beleza.
 
Ronaldo Ancél Alves em 03/02/2011 09:42:33
O que fizeram com a insigne magistrada foi covardia. Condenaram-na antes de ser julgada. Isso não se faz nem com o pior dos Réus, os quais, como todos, têm ou deveriam ter o direito a ampla defesa.
 
Marcus Vinícius em 03/02/2011 09:13:12
Marco Antonio não deveria chamar a atenção deveria perder o cargo, olha o carnaval que será feito em cima de uma denuncia que pode ou não ser verdadeira, nossa justiça já é lenta, vamos ter que ficar perdendo tempo com briguinha interna por que uma pessoa ou outra se sentiu ofendido porque a juiza não deu bom dia, ou estava num dia ruim e respondeu alguma coisa de forma seca, vamos trabalhar meu povo, tem gente cuja vida depende de uma decisão e da agilidade do processo, chega de picuinha.
Agora não sei o que adianta correr em sigilo agora que já foi escancarado o caso pra todo mundo.
 
maximiliano nahas em 03/02/2011 09:04:16
A impressão pelos comentários acerca desta questão me preocupa.
É evidente que o povo sul-mato-grossense busca um Judas para açoitar e estão escolhendo esta juíza sem a menor certeza dela ser ou não um Judas..
Vejam, não estou defendendo a Sra. Juíza Luciane Buriasco, mesmo porque sequer a conheço, e, não tenho condições de afirmar sua culpa ou inocência.
Sou partidário da ideia de que aquele que comete desvios deve pagar na forma mais severa da lei pelo ato praticado, independentemente de quem seja (juiz, desembargador, advogado, promotor de justiça, delegado, governador, prefeito, etc).
Meu objetivo aqui é apenas deixar registrado o incomodo que me acomete os comentários que refletem o descrédito no poder judiciário. Sinceramente, se há irregularidades temos que denunciar. Porém, o que não devemos fazer é rotular de corrupta toda uma estrutura de poder, neste caso o judiciário, pois, este é a última fronteira do cidadão de bem.
Tratar o poder judiciário como se totalmente corrupto fosse é o primeiro passo para a falência de todo o sistema democrático na forma como conhecemos.
Não estou aqui afirmando que o poder judiciário sul-mato-grossense é impoluto, pois, muita ingenuidade de minha parte seria.
Sei que existem maus operadores do direito. Mas sei também, como advogado, que se existe juiz corrupto, na outra ponta, o que está mais próximo do corrutor é o seu advogado constituído.
Não posso acreditar que estes corruptos sejam a maioria, pois, se dessa forma for, serei obrigado a abandonar a minha profissão, uma vez que, não confiando naqueles que analisam e entregam o direito, assumir o patrocínio da causa de um cliente nada seria além de enganá-lo para receber os meus honorários contratados.
Por isso peço a sociedade que reflita e separe as decepções a vocês geradas por uma minoria que se desvirtua pela busca de indevidos interesses particulares, e, deêm um voto de confiança ao Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul. Ele não é uma instituição perfeita, mas com certeza é na sua maioria muito séria.
COBREM DO PODER JUDICIÁRIO MEDIDAS ENÉRGICAS CONTRA AQUELES QUE SE CORROMPEM.
MOSTREM AOS ADVOGADOS, JUÍZES E DESEMBARGADORES HONESTOS (que tenho certeza serem a grande e absoluta maioria) QUE A PRÁTICA DO CORPORATIVISMO NÃO SE CONFUNDE COM A PROTEÇÃO DE CRIMINOSOS TRAVESTIDOS DE AUTORIDADE, MAS SIM COM A PROTEÇÃO ÀQUELES ACUSADOS INDEVIDAMENTE QUE AGIRAM EM SENTIDO CONTRÁRIO À ALGUM INTERESSE, AINDA QUE NOS LIMITES DA LEI E DO DIREITO.
Enfim, peço a sociedade sul-mato-grossense que reflita e tome bastante cuidado com o julgamentos prévios.
Sra. Juíza Luciane Buriasco, no seu lugar, diante da divulgação desta sindicância, eu jamais permitiria que a mesma transcorresse a partir de agora em segredo de justiça, o segredo já foi violado e sua imagem perante a sociedade já se mostra abalada. A reparação é pela via da transparência e da publicidade do curso e resultado desta sindicância, buscando demonstrar para a sociedade que a mesma foi conduzida de forma imparcial e séria. Independentemente de qual seja o seu resultado.
 
João Carlos em 03/02/2011 03:22:35
Imagine se a moda pega. Todo condenado resolve condenar o juiz por falta de consideração .... explico : o juiz não O CONSIDEROU INOCENTE ....
 
Ricardo Lopes em 02/02/2011 08:14:20
Agora, se essa denúncia foi feito somente por vigança. O TJ, se for um órgão sério, deveria "chamar a atenção" de quem fez isso, para não virar rotina!!!! Pois, declarações falsas, maculam não só a parte, mas também todo o judiciário.
 
Marco Antonio em 02/02/2011 07:14:25
A verdade e a honestidade e a legalidade, são fatores que incomodam muitos. Essas são as virtudes de uma magistrada, que muito tem contribuído para o nosso município, uma pessoa que sabe distinguir o certo do errado, sabe classificar a amizade com o profissionalismo.
Com certeza, essa (s) pessoa (s) que fizeram essa denuncia, estava (m) não são merecedoras da mais simples simpatia dos sul - chapadenses.
Sinceramente, eu que sou morador de Chapadão do Sul há 25 anos, atuou na área da imprensa, nunca ouvi um pessoa falar honestidade da magistrada, que tem desempenhado um papel muito digno em Chapadão do Sul.
Fica aqui meu protestos contra essa (s) pessoas,que com certeza estavam querendo passar por cima da autoridade da nossa Juíza de Direito
 
Adejair morais em 02/02/2011 07:10:26
Infelizmente, pelo que estamos vendo será mais um caso que terminará em pizza.. Isso é Brasil minha gente!!!
 
Alessandra Batista em 02/02/2011 06:35:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions