A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

31/12/2014 13:09

Investimentos de R$ 30 mi devolvem qualidade do ensino e respeito

Flávia Lima
Nunca deixei de batalhar pela Funlec, diz o médico Mafuci Kadri, à frente da instituição por seis anos. (Foto:Alcides Neto)  "Nunca deixei de batalhar pela Funlec", diz o médico Mafuci Kadri, à frente da instituição por seis anos. (Foto:Alcides Neto)

Uma das maiores e mais tradicionais redes de ensino de Mato Grosso do Sul, a Funlec (Fundação Lowtons de Educação e Cultura) fecha o ano comemorando o resgate de um ensino de qualidade graças a um investimento de pelo menos R$ 30 milhões, aplicados ao longo dos últimos seis anos pela atual administração, em todas as unidades da rede. Composta por oito escolas, que englobam desde o ensino básico até o superior, a rede passou por uma grave crise financeira há alguns anos e chegou a ponto de fechar.

Nessa época os colégios, incluindo o Osvaldo Tognini, um dos mais tradicionais da rede, deixaram de ser referência em ensino, apresentando problemas estruturais em todas as unidades, que não viam mais investimentos devido a falta de recursos. O quadro refletiu, inclusive, no comportamento dos alunos, que começaram a procurar outros colégios.
Com a mudança da administração, em 2009, o rumo da instituição começou a mudar. O médico Mafuci Kadri assumiu o comando e, junto dos professores e funcionários, traçou um plano de ações que recuperou a credibilidade da instituição. Logo nos primeiros meses de 2009 todas as unidades da rede sofreram grandes transformações, com obras, reformas e criação de novos espaços de estudo e lazer. Parte desses investimentos, o médico tirou do próprio bolso.

Para que os resultados brotassem logo, o novo diretor tomou uma decisão arriscada e radical: decidiu, ele mesmo, ser o fiador de todas as obras da rede, facilitando, assim, a renegociação das dívidas. “Disseram que eu era louco, mas o sonho de reerguer e recuperar a credibilidade da instituição era maior”, afirma o médico. Além de garantir o pagamento em dia dos funcionários, entre as mudanças que puderam ser observados logo de imediato, o atual presidente cita como exemplo, o colégio Maria Lago Barcellos, no bairro Nova Bahia.

A unidade passou de 720 para mais de 900 estudantes, um acréscimo de 25% entre 2009 e 2013. A construção do bloco da Educação Infantil, projeto de mais de 15 anos, foi um dos grandes responsáveis pela valorização da unidade. “As obras refletiram, inclusive, na realidade do bairro. “Tínhamos crianças agressivas e diversos problemas de comportamento que hoje não existem mais porque passamos a dar a elas perspectiva de futuro”, afirma satisfeito.

O colégio Osvaldo Tognini também foi um dos que tiveram a realidade mudada drasticamente. “Até os ventiladores de teto eram antigos e a quadra estava toda esburacada”, lembra. Entre as obras realizadas, estão um estúdio de dança, reforma de sete quadras poliesportivas, piscinas, novas obras na biblioteca e reforma em todos os espaços do colégio respeitando as normas de acessibilidade.
Com isso o colégio viu o número de alunos crescer em 30% e passar a marca de mil estudantes. A unidade passou a receber investimentos da ordem de R$ 500 mil anuais, contra os R$ 90 mil que eram aplicados antes da gestão atual.

A rede ainda conta com uma unidade em Três Lagoas, a escola Hermesindo Alonso González; uma em Coxim, o colégio Julieta Mota dos Santos e uma em Bonito, o colégio Honorato Jacques. Todos também receberam novas instalações, ampliação de espaços recreativos e investimento em material didático. O resultado foi um crescimento da receita em todas as unidades. No Hermesindo Alonso, por exemplo, o número de alunos cresceu 70% e os investimentos saltaram de R$ 160 mil para R$ 1,2 milhão.

Segundo a Câmara Imobiliária, em 2009 o patrimônio da rede era avaliado em R$ 35.314.000,00, hoje esse montante é de R$ 140.964.500,00, um aumento de 300% na valorização dos imóveis.

Com os investimentos realizados, outra importante característica das unidades da rede, a conquista de campeonatos através do esporte, pode ser retomada, já que as escolas passaram a contar com novas quadras e ginásios esportivos.
O Instituto de Ensino Superior da Funlec também hoje é reconhecido como uma das mais importantes faculdades do Estado. Com mais de R$ 500 mil em investimentos, a instituição hoje conta com mais de mil graduados e 1,4 mil pós-graduados, divididos em sete cursos de graduação e seis na de pós-graduação.

Respeito resgatado

As ações administrativas também contribuíram para o resgate do nome Funlec. Em 2009, a instituição foi solicitada a devolver para a prefeitura de Bonito, a área em que estava instalada há dez anos por não ter feito as melhorias no local, acordadas com a prefeitura. A questão foi solucionada após uma permuta de terrenos e hoje a área onde a Funlec está sediada foi avaliada em R$ 12 milhões.

Com a proximidade do fim de sua gestão, que acontecerá em maio de 2015, Mafuci Kadri se diz satisfeito e orgulhoso da transformação que promoveu, ao lado dos funcionários e alunos, em toda rede Funlec. “Tive uma vida cheia de dificuldades, principalmente para estudar por isso acredito que a transformação da humanidade só acontece através da Educação. Nunca pensei em me desfazer dessa instituição”, ressalta. Para o diretor do colégio Osvaldo Tognini, Carlos Passarinho, mais do que melhorar as condições de estudo e trabalho na rede, as mudanças ajudaram a resgatar o respeito e a satisfação das crianças e jovens que estudam na Funlec. “Hoje temos um compromisso renovado de manter o nível do ensino oferecido em nossa unidades, além de reconquistarmos o respeito de nossos alunos”, ressalta.

Todo o trabalho é refletido no índice de matrículas. Em 2009 a rede contava com 3.377 alunos matriculados. Hoje esse número é de 4.518 e tende a crescer, já que as unidades já contam com 41% das vagas ocupadas.

História

Criada pela Grande Loja Maçônica de Mato Grosso do Sul, a Fundação, que não possui fins lucrativos, nasceu com o objetivo de criar um sólido sistema de ensino baseado no estímulo ao patriotismo e respeito aos valores sociais e da família. O primeiro passo na construção deste objetivo foi a construção da escola União Fraternal Mato-grossense de Ensino, em parceria com a Secretarias de Educação Estadual e Municipal, que cederam os professores e contribuíram para a materialização dessa ideia.

O Colégio Raul Sans de Matos, um dos mais tradicionais de Campo Grande, foi o berço de tudo. As atividades da Funlec despertaram logo a atenção do Poder Público, que reconheceu a importância das suas propostas e iniciativas, e passou a apoiar a Fundação por meio da assinatura de convênios para atender a comunidade. Seguindo os passos do Colégio Raul Sans de Matos iniciaram também suas atividades outras unidades de ensino: Colégio Professora Maria Lagos Barcelos, Colégio Oswaldo Tognini e o Centro de Cursos da Funlec
Em 1997, a criação do Instituto de Ensino Superior deu início à prestação de serviços em nível de graduação e pós-graduação. Construído junto às instalações do Colégio Oswaldo Tognini, em Campo Grande, o IESFunlec oferece, hoje, os cursos superiores de Administração, Secretariado Executivo Bilíngue, Educação Física, Pedagogia, Turismo, Biblioteconomia e Artes Visuais.

Alunos voltaram a disputar as vagas oferecidas pela instituição após as obras nos colégios da rede. (Foto:Divulgação)Alunos voltaram a disputar as vagas oferecidas pela instituição após as obras nos colégios da rede. (Foto:Divulgação)
Alunos do Ensino Médio da Funlec comemoram boas colocações no Enem. (Foto:Divulgação)Alunos do Ensino Médio da Funlec comemoram boas colocações no Enem. (Foto:Divulgação)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions