A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

22/09/2010 11:00

Jovens acusados de matar garota de programa são soltos

Redação

Acusados da morte da garota de programa Claudinéia Rodrigues, Leonardo Leite Cardoso e Fernando Pereira Verone foram soltos. Eles, que estavam presos desde junho de 2009, deixaram o Instituto Penal, em Campo Grande, na manhã de hoje.

A liberdade veio após decisão do TJ (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), que deu provimento a recurso apresentado pela defesa de Leonardo. Em novembro do ano passado, o juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos, determinou que Leonardo, Fernando e Hugo Pereira da Silva (que já estava em liberdade), fossem a júri pelo assassinato.

A defesa recorreu e obteve ontem decisão favorável da 2ª Turma Criminal.

De acordo com a advogada Solange Helena Terra Rodrigues, a defesa solicitou liberdade e absolvição sumária para Leonardo.

O alvará de soltura chegou hoje ao presídio, quanto à absolvição, a defesa aguarda a publicação da decisão para saber se Leonardo irá a júri popular. A advogada enfatiza que há um laudo pericial atestando que o jovem é inimputável, ou seja, não tem consciência dos seus atos.

"Ele tem distúrbio bipolar e já fazia tratamento no Rio de Janeiro, antes de vir para cá". O recurso da defesa questionou porque Hugo estava em liberdade e os demais presos. Acadêmico de Direito à época da prisão, Fernando requereu a extensão do benefício dado a Leonardo.

Socos e pontapés - Mãe de três filhos, a garota de programa conhecida como Néia foi morta a socos, pontapés e golpes de tijolo na cabeça. O crime aconteceu na madrugada do dia 9 de maio, em um terreno atrás do Aeroporto Internacional de Campo Grande.

O trio estava no carro do pai de Fernando, um Pálio Weekend, quando "pegaram" a vítima e uma amiga no Centro da Capital. Eles seguiam para um motel, quando, ao perceber a situação de perigo, a amiga de Néia pulou do carro em movimento.

Não há definição sobre a autoria do crime. "A controvérsia está em saber quem assassinou a mesma no local do crime, porquanto Hugo e Fernando negam os atos de

execução da vítima, atribuindo exclusivamente a Leonardo e este também nega, admitindo, todavia, desferir apenas um golpe de pedra na cabeça dela, sem intenção de matar", enfatiza o magistrado na sentença que mandou os jovens a júri.

Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions