A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

12/08/2011 17:55

Juízes do Trabalho repudiam assassinato de juíza no Rio de Janeiro

Edmir Conceição

A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 24ª Região, que engloba Mato Grosso do Sul, divulgou nota ontem repudiando o crime em que a juíza Patrícia Acioli, da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, no rio, foi assassinada.

É a seguir a íntegra da nota distribuída pela Associação:

NOTA PÚBLICA

A AMATRA XXIV – Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 24ª. Região, entidade representativa dos Juízes do Trabalho do Estado do Mato Grosso do Sul, vem a público prestar solidariedade aos familiares, amigos e colegas da Juíza Patrícia Lourival Acioli, da 4ª. Vara Criminal de São Gonçalo (RJ), brutal e covardemente assassinada em Niterói(RJ), com 16 tiros, no início da madrugada desta sexta-feira (11/08/11), quando chegava em sua residência.

O violento atentado a um dos membros da magistratura nacional é um atentado contra a sociedade e contra o regime democrático de direito e exige das autoridades públicas constituídas uma pronta apuração e uma rígida resposta a seus autores.

É intolerável que cidadãos dignos, que ocupam cargos de Juízes para disseminar a Justiça e que cumprem e fazem cumprir a Constituição Federal e as Leis da República, sejam alvo desse tipo de atrocidade. O episódio demonstra a fragilidade do sistema de segurança dos agentes públicos que sustentam o regime democrático de direito, expondo as inadequadas e inseguras condições de trabalho a que são submetidos os magistrados de todo o país, ensejando providências urgentes para que atos intimidatórios dessa natureza jamais se repitam.

Jamais haverá uma sociedade justa sem que haja a garantia da independência de seus Juízes.

Os Juízes do Trabalho sul-mato-grossenses reafirmam seu compromisso com a justiça, conclamando os demais magistrados de todo o país, os membros dos Poderes Executivo e Legislativo e todos os demais cidadãos que almejam um futuro mais digno e mais justo para a sociedade brasileira, a empunhar a bandeira da defesa e da valorização da magistratura, repudiando qualquer atitude que atente, física ou moralmente, contra seus integrantes.

Campo Grande (MS), 12 de agosto de 2011.

Juiz LEONARDO ELY

Presidente da Amatra XXIV

Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...
Curso de instrutor de trânsito do Detran oferece 50 vagas na Capital
O Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) está com inscrições abertas para o curso de Formação de Instrutor de Trânsito e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions