A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

22/04/2009 06:37

Julgado hoje envolvido em assassinato de empresário

Redação

Começa às 8 horas desta quarta-feira o julgamento de Carlos Vieira Gonsalez, no Tribunal do Júri de Campo Grande.

Ele é um dos acusados de matar o irmão do prefeito de Rochedo e empresário Alci Pedro Arantes, em outubro de 2006, na Capital. O júri será presidido pelo juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri.

Carlos é apontado como dono da motocicleta Strada usada no crime. Para a Polícia Civil, ele sabia que a motocicleta seria usada no homicídio e emprestou o veículo em troca de dinheiro.

Também são apontados como envolvidos no assassinato: João Batista Domingos, 50 anos, conhecido como "João Quentura", Carlos Ximenes Paiva, autor dos disparos, André Lima Silva, quem pilotou a moto, Cyntia Carvalho Martins, que seria a mandante, e o advogado Gilson Gomes da Costa. O julgamento deles ainda não está marcado.

O assassinato aconteceu na frente da casa de Cyntia, ex-mulher da vítima, e acusada de ser a mandante. Alci foi buscar os filhos na casa dela para leva-los à escola, e quando os esperava, foi atingido por tiros e morreu na hora, dentro do carro.

O advogado Gilson é acusado de ajudar Cyntia no planejamento e contratar João Quentura para chamar os pistoleiros. Os dois chegaram a ser presos logo depois do crime, mas logo depois soltos e o processo arquivado por falta de provas.

Em julho do ano passado, a família recebeu novas denúncias e o Garras reabriu as investigações e prendeu os acusados.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions