A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

17/05/2011 11:45

Justiça Federal determina a retirada de índios de fazenda em Sidrolândia

Marta Ferreira
Índios estão acampados em fazenda desde o dia 10 de maio. (Foto: João Garrigó)Índios estão acampados em fazenda desde o dia 10 de maio. (Foto: João Garrigó)

Decisão da Justiça Federal de ontem determinou a saída dos índios que estão acampados na fazenda 3R, em Sidrolândia, desde o dia 10 de maio. A fazenda está no território de 17 mil hectares já identificado como área indígena da aldeia Buriti, mas que ainda não foi demarcado e por isso os índios decidiram fazer o que chamam de retomada da terra.

Segundo informações da Funai (Fundação Nacional do Índio), uma equipe da Polícia Federal chefiada por um delegado foi ao local onde estão acampados esta manhã para notificar os índios da decisão.

Mais de 2 mil índios estão em um pedaço da fazenda 3R, incluindo crianças, que estão tendo aulas no local.

A Funai informou que a AGU (Advocacia Geral da União) vai entrar com recurso nesta tarde para derrubar a decisão que manda despejar os índios.

A terra Buriti Os 17 mil hectares são reivindicados há décadas, mas só foram identificados como terra indígena em agosto de 2001. Após a publicação do relatório de identificação, fazendeiros região pediu na Justiça que fosse declarada a nulidade da identificação antropológica.

Somente após nove anos de espera, com a decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, de São Paulo, reconhecendo os direitos territoriais da nação Terena, foi publicada portaria declaratória com os limites da terra indígena Buriti, pelo Ministério da Justiça.

Apesar dessa decisão, a efetivação da posse ainda não tem prazo.



Quanto maior a área mais espaço pra tomar tereré tô fora
 
Nilson André em 18/05/2011 07:47:40
índios, guardiões da natureza, um povo que luta por seu direito, muitos anos pisados maltratados. Mas acima de tudo guerreiros unidos mum só propósito, manter viva a vida que existe na terra, ouvir o som dos passaros, manter a paisagem coloridas com suas belas flores. Num mundo em que vivemos diz-se de preservação ambiental. Eu digo com a maior certeza que areas indígenas são verdadeiros modelos de preservação ambiental.
sou indio terena com maior orgulho!. não aceito dizer que somos invasores por que antes do descobrimento do Brasil, já estavamos aqui.
Hoje lutamos pelo nosso direito. sabemos usar a terra sem agredi-la, cultivaremos nossos produtos necessario para sobrevivencia. 17 mil hec de terras que já explorados o máximo, que dinheiro nenhum no mundo paga pelo seu concerto, a terra que pede indenização.
Não somos um povo que explora por ganância. Mas preservamos e zelamos pela nossa sobrevivência. POVO TERENA AVANTE, DEUS ESTÁ CONOSCO, esta é nossa maior bandeira......
 
EMERSON DELFINO REGINALDO em 18/05/2011 02:26:51
Gostariua de saber quando váo identificar como sendo indigena,as terras de todo municipio de Sidrolandia e regiáo...porque todas as terras até o ano 1500 eram indigenas. Me adimira muito uma instituiçáo como a Funai fazer parte deste absurdo.
Produtores rurais que geram riqueza para o país náo podem dar de máo beijada terras que lhes foram concedidas por direito e sáo escrituradas etc..Terras que geráo ITR e vários outros impostos que sáo pagos pelo homen do campo que trabalha honestamente, gerando emprego e renda para o municipio,estado e país.
Logicamente se o governo quiser brincar de casinha com indios,que nada sabem fazer alem de invadir e espalhar terror , eles que indenizem os proprietários rurais o que lhes ;e de direito.
Se isto náo acontecer realmente e infelizmente irá haver confronto pq pelo meu entendimento nenhum lado esta disposto a ceder.
Que o governo faça alguma coisa logo..e Deus abencoe a todos.
 
ivan Palmiere em 17/05/2011 05:51:11
17 mil hectares para dois mil indios..... e a funai ainda tem q da sacolao, vale gas e um monte de coisa pra sustentar esse povo. saudade dos tempos feudais
 
caio graco em 17/05/2011 05:47:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions