A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

13/05/2011 20:40

Procurador da República vai a Sidrolândia negociar com índios

Ana Paula Carvalho e Paula Maciulevicius

Ele deve fazer nova visita na semana que vem

Fazendeiros, indígenas e representantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) participaram de reunião com o MPF na Câmara Municipal dos Vereadores de Sidrolândia (Foto: Simão Nogueira)Fazendeiros, indígenas e representantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) participaram de reunião com o MPF na Câmara Municipal dos Vereadores de Sidrolândia (Foto: Simão Nogueira)

O procurador da República em Mato Grosso do Sul Emerson Kalif Siqueira esteve hoje na Fazenda 3R, na região de Sidrolândia, invadida por cerca de mil índios terena na última terça-feira (10) para tentar negociar a desocupação de forma pacífica.

Os indígenas da aldeia Buriti reivindicam 17 mil hectares de terra da região. Os terenas estão na expectativa de uma reunião em Brasília, com a diretoria de Assuntos Fundiários da Funai.

Durante a tarde de hoje o procurador, participou de uma reunião com fazendeiros, indígenas e representantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) na Câmara Municipal dos Vereadores de Sidrolândia.

Depois da reunião o representante do MPF e os indígenas se reuniram na Fazenda 3R. O procurador disse que só vai se pronunciar sobre a reunião através de uma nota à imprensa para não “comprometer a confiança” dos indígenas. Ele deve fazer uma nova visita na semana que vem.

Hoje a tensão estava mais controlada. Na quarta-feira, os produtores rurais chegaram a afirmar que um confronto seria inevitável.

O proprietário da Fazenda Buriti, Edmundo Bacha, disse ao Campo Grande News que os índios estão armados com espingardas. Produtores rurais afirmam que o grupo acampado na divisa esteja a dois quilômetros da propriedade.

Segundo o coordenador regional da Funai (Fundação Nacional do Índio), Edson Fagundes, que chegou a ficar de refém essa semana na fazenda, a reunião com a diretoria de Assuntos Fundiários em Brasília está na fase de agendamento, mas ainda sem data definida.

Invasão - os indígenas invadiram a propriedade na noite de terça-feira (10) para reivindicar que o processo de demarcação na região, distribuídos em três fazendas, seja acelerado.

Os terena dizem “não suportar mais” a espera pela demarcação, vivendo em uma área homologada de aproximadamente 2 mil hectares em Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti. Os indígenas são das aldeias Córrego do Meio, Lagoinha e Buriti.

No local, os indígenas afirmam que se não for cumprida lei, eles vão fazer do jeito deles. Produtores rurais da região asseguram que se não houver solução pacífica, um confronto será inevitável.

Na terça-feira os indígenas fizeram reféns o coordenador regional da Funai/MS (Fundação Nacional do Índio), Edson Fagundes e o chefe de Meio Ambiente da Fundação, Ricardo Araújo, mas os liberaram na mesma noite.

Cerca de 1.000 índios invadiram a fazenda 3R na última terça-feira (Foto: João Garrigó)Cerca de 1.000 índios invadiram a fazenda 3R na última terça-feira (Foto: João Garrigó)

Disputa - No dia 02 de agosto de 2001, a Funai identificou 17.200 hectares como Terra Indígena Buriti. No mesmo ano, fazendeiros da região solicitaram a nulidade da identificação antropológica, através de uma Ação declaratória na Justiça Federal de Campo Grande. Durante este período a demarcação ficou paralisada.

Em 2004, o Juiz Federal de Campo Grande, Odilon de Oliveira, deu a sentença do processo, decidindo contra os direitos territoriais do povo Terena.

Após a decisão do Juiz, foram movidos recursos pelo Ministério Público Federal e Funai para o Tribunal Regional Federal da 3º Região, em São Paulo, que tramitaram até o seu julgamento definitivo em 11 de dezembro de 2006.

Na decisão do Tribunal, foi modificada a sentença proferida pelo Juiz Federal de Campo Grande, reconhecendo que a Terra Indígena Buriti é terra “tradicionalmente ocupada pelo povo Terena”, sendo determinado o prosseguimento normal da demarcação pelo Governo Federal. Em 25 de Julho de 2005 ainda foram movidos pelos fazendeiros Embargos contra a decisão o que causou ainda mais demora na solução do processo.

Com a decisão do Tribunal Regional Federal reconhecendo os direitos territoriais dos Terena, após 9 (nove) anos de espera, em 28 de Setembro de 2010, foi publicada a Portaria Declaratória (nº 3.079/2010) dos limites da Terra Indígena Buriti pelo Ministério da Justiça.

Em Outubro de 2009, houve uma grande mobilização de retomada de terras. Em novembro os Terena foram expulsos por ação da Polícia Militar de MS em conjunto com fazendeiros incidentes na Terra Indígena, sem que houvesse qualquer ordem judicial para isso. Foi instaurado Inquérito na Policia Federal de Campo Grande para apurar o caso.

Após a Portaria Declaratória do ministro, o próximo passo seria que a Funai promovesse a demarcação física dos limites da terra, disponibilizando imediatamente os profissionais encarregados para a colocação dos marcos, visando que o processo administrativo possa seguir para suas etapas finais, com a esperada homologação da demarcação pela Presidenta da República, Dilma Roussef.

Atualmente, cerca de cinco mil índios vivem em apenas 2,1 mil hectares de terra que já foram assegurados pela União em 1928 e que compõe a totalidade dos 17 mil hectares que ainda estão na posse de fazendeiros.

Índios terenas invadem fazenda e anunciam retomada de 17 mil hectares
Cerca de 1.500 índios terenas invadiram ontem à noite uma fazenda na saída para Sidrolândia. Segundo o líder indígena Roberto Silva, trata-se de uma ...
Coordenador Regional da Funai é liberado pelos índios após negociação
Chefe de Meio Ambiente da Fundação também foi soltoO coordenador regional da Funai (Fundação Nacional do Índio), Edson Fagundes, e o chefe de Meio A...


Em outras regiões do Mato Grosso do Sul , etnia terena , tem direito e olha que a área é enorme , tenho plena certeza que dá para abrigar toda etnia terena existente no M S , em qualquer lugar , em diferentes pontos encontra-se cerâmica de acordo com a cultura terena e tem até um mapa realizada por um engenheiro , no século passado que afirma com todos os dados que a área é terena , considerando que os índios terenas são excelentes agricultores ,chamados de índios enchadeiros , são trabalhadores e produtivos , sem dúvida alguma se esta área voltar aos terenas certamente será uma grande área produtiva , assim como é produtiva as diversas aldeias existente em Aquidauana no Distrito de Taunay e também excelente produção na Aldeia do Limão Verde em Aquidauana , ja vi nesta aldeias citadas índios trabalhando em pleno sol do meio dia , índio trabalha ,mas nem todas etnias são iguais , cada um de acordo com sua cultura milenar , na minha modesta opinião baseado em pesquisa em Sidrilândia as 17.100 hectares nunca pertenceram a etnia terena .
 
paulo roberto marques pereira em 22/05/2011 03:21:26
Segundo o ministro e conselheiro de Adolf Hitler ,afirmava " Uma mentira repetida mais de mil ,torna-se uma verdade " a semelhança existe para afirmar que os terenas tem direito legítimo sobre as 17.100 Hectares , no caso do Buriti, quantos profissionais que trabalharam neste caso , afirmaram em entrevista ,palestras , simpósios , em suas aulas ,pegando o acadêmico ou alunos que ainda nem chegaram em um curso superior ,alunos,ouvintes totalmente influenciados pela ideologia ultrapassada do professor , e pensam que tudo que o professor afirma é verdade , e tudo que circula nos meios de comunicação é verdade . e muitos acham que os terenas estão ,detalhe : eu acho , não é certeza é achismo , eu afirmo : conheço este processo toda sua história etc......eu afirmo esta terra nunca pertenceu a etnia terena , pesquise , leia todo o processo ,vejam as provas materiais ,documentais , etc.....e tal , para depois dar uma boa opinião , mas cuidado as lentes da ideologia ultrapassada certamente não vai permitir mudar sua opinião .......em tempo é melhor poder ler besteira do que ser analfabeto ou cego , e o pior cego é aquele que não quer ver a verdade , é melhor ouvir certas mentiras do que ser surdo .....
 
Paulo Roberto Marques Pereira em 22/05/2011 02:55:09
O Brasil de hoje de acordo com suas Leis e Justiça , esta semelhante ao Império Romano ,após a convivência com os povos germânicos , ou seja havia leis diferenciada ,para os de origem latina e para os de origem germânica , isto segundo a história durou mais de 500 anos , para o índio não existe prazos nem prescrição , para os não índios cada dia os prazos diminuem ,direitos adquiridos vão para espaço , prescrição etc..e tal e no final temos que ouvir com educação " A justiça não socorre aos que dormem " , esta afirmação não vale para os índios ,podem dormir a vontade que a justiça vai socorre-los , mas a Constituição afirma que todos são iguais perante a Lei . Mas existe os desiguais , cada dia que passa mais tenho vergonha de ser brasileiro , afinal nós não podemos escolher o país para nascer ........Brasil um país tão belo e maravilhoso , de acordo com riquezas naturais .
 
Paulo Roberto Marques Pereira em 22/05/2011 02:30:48
Existe no Brasil mais de duzentas etnias índigenas diferentes , mas as história da etnia terena é bem conhecida ,não precisa ser mestre ou doutor em antropologia ou arqueologia ,para saber que os terenas ,depois de habitarem a região do chaco no Paraguai , vieram para o Brasil no início do século 19 , os portugueses e outros descendentes de Europeus ,Africanos ,já estavam neste Brasil , a séculos.......quando pergunta a qualquer cidadão paraguaio se os terenas , são do Paraguai , a resposta vem na ponta da língua : Não , são dos Altiplanos ,ou seja hoje considerado a região de fronteira entre Venezuela e Colômbia,alguns pesquisadores afirmam que são de origem da América Central , e teria sido os terenas a recepcionar Cristóvão Colombo , já outras etnias como os Xavantes ,Tamoios , este todos sabemos que já estavam aqui no Brasil antes dos Portugueses, em tempo esta na hora devolver a cidade do Rio de Janeiro , Niterói ,Ubatuba ,Caraguatatuba,Paraty e São Paulo , aos seus descendentes ,baseado nesta jurisprudência sobre os terenas da aldeia do Buriti, eta Brasil , eta justiça , eta doutores antropólogos e arqueólogos ,este processo do Buriti é complexo , mas a ideologia ultrapassada está falando mais alto . Sem mais..........Vaidades de Vaidades é tudo Vaidade , " neste mundo a espaço para todos" Charles Chaplin .
 
paulo roberto marques pereira em 22/05/2011 02:02:19
eu acho que os indios tam direito a essas terras sim porque eles estao a decadas tentando negociar as terras e nao comseguem e ate por que essas terras sao direito dos imdios!
 
barbara caroliny pinto pereira em 17/05/2011 11:46:17
Acho que no Brasil não existe mais leis porque não temos nem mais direito de propriedade, as nossas terras foram pagas e todas tem escrituras que foram dadas pelo governo federal, agora vem os indigenas e querem nos roubar ,porque se fosse ao contrario nós seriamos tratados como ladrão.Se o governo não resolver isso por bem sera inevitavel um confronto porque não podemos admitir a perca de nossas propriedades que vem produzindo alimentos a varias gerações para matar a fome do mundo.
 
Anaor Nogueira da Silva em 15/05/2011 09:28:40
Toda esse celeuma já sabemos o que vai acontecer, sempre a corda arrebenta do lado mais fraco, mas as terras é do povo indigenas, não saiam daí somente com a determinação de Brasília e olha lá, caso contrário vai ficar nessa de chove e não molha.
 
Felipe Salinas em 15/05/2011 08:40:05
Que esta luta pela terra sirva de exemplo á toda Nação Terena .
Ypegue, Água Branca, Lagoinha , Bananal e outras Aldeias está passando o momento de unir-vos, para resgatar os direitos de seus filhos !!!!!!!
SIgam o exemplo de seus bravos irmãos do Buriti.
 
Ronnei Paulino em 15/05/2011 08:24:43
Que dê tudo certo para os Terena da buriti.
Neste país de politicos corruptos, somente com muita luta pra fazer valer os direitos da gente.
Se o Governo quiser resolve o problema, mas prefere discutir "outras prioridades".
Desse jeito, só fazendo movimento mesmo...
 
Vana Lucia Silva em 14/05/2011 12:24:34
Parabéns ao povo Terena! A luta de vocês fará seu povo sobreviver e seus filhos serão felizes. A terra já foi identificada como terra indígena, agora é a policia tirar os fazendeiros invasores. Vale lembrar que ano passado os fazendeiros juntos com policiais expulsaram ilegalmente os índios. A justiça do TRF havia reafirmado que ali se trata de terra indígena e que os Terenas lá deviam permanecer.
 
Henry Facchinni em 14/05/2011 11:29:35
Se eu fizer 100 filhos náo posso sair invadindo terra alheia...alegando que náo tenho espaço para minha familia.
Onde está o direito de propriedade?????
Ë incostitucional e ponto final. Invasáo é crime e tem que ser
tratado como tal... Cade a justiça deste País.??? O governo estadual
vai se calar diante de tamanho absurdo ????

 
ivan palmiere em 14/05/2011 11:12:07
Caríssimos Vana Lucia e Henry Fachinni concordo com vocês que os Terenas estão certos em invadir para lutar pelos seus direitos. Acho que deveriam inclusive invadir suas casas e seu emprego, assim eles teriam mais sucesso na luta. Que tal eles invadirem a sua sala, seu quarto e quebrarem tudo? assim eles poderiam morar na sua casa, usarem seu carro. Que boa idéia não acham??
 
Mauro Almeida em 14/05/2011 11:04:19
Há de se saber que os Terena voluntariamente lutaram ao lado das tropas do Coronel Carlos Camissão na Guerra do Paraguai para asssegurar esses territórios, onde estavam os ditos "proprietários" das fazendas? Fugiram todos, basta ler o diário de Taunay,.Conheça a história de nosso estado, sabem que foi guia Lopes?
 
Carlos Lamarca em 14/05/2011 10:35:44
falar que os indios tem direito muitos dizem
e o produtor que comprou sua propriedade
paga impostos tem escritura
vai sair da terra com uma mão na frente
e outra atras sem direito a nada se o governo
federal que fazer boa ação por que nao da terras
la na amazonia.ou tem medo dos indios venderem
a amazonia.pois as terras que eles invadem eles arrendam.
munca vao ter terra suficiente.
 
luiz antonio em 14/05/2011 09:09:45
genteeee eu keria saber se fosse vs k tivesse uma terra ondi os indios envadiram niguem tem direito de invadir terra de niguemm so pq sao indios e pra eles nao tem leiii
cade a nossa justiça a terra do meu pai esta envadida ja faz 10 anos e nd ate agoraaaaa kero k ressolva logo isso temos direitos assim cm elesss espero k a justiça seja feitaa a gente nao roubou de niguem compramos essas terrass.
 
fernanda eloisa franco em 14/05/2011 07:34:32
O então Presidente Lula falou q iria comprar terras p os indigenas, ficou só na promessa. O problema é mto simples de resolver. No passado o Governo vendeu as terras aos particulares,se elas pertenciam ou nao aos indigenas, quem comprou nao tem nada a ver, cabe ao Governo resolver o problema.Os proprietarios nao podem sofrer o prejuizo, pois pagaram pelas terras. Se o Governo quer as terras de volta que as comprem e ponto final
 
ronei fuchs em 14/05/2011 06:06:28
Desce o purrete nesses bugres !!!
São preguiçosos e indolentes!
Se quer dar terra para ser abandonada afim de fazer politica, que a união indenize os
proprietarios q recebera da união e nelas produziram e desenvolveram a região.
Que q essa indiada fez alem de tomar cachaça e fazer festa com o dinheiro publico.
Quem não copnheçe fica dizendo besteira.como o sr. Henry Facchini,.
 
Marco Aurelio em 14/05/2011 05:43:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions