ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Justiça federal suspende leilão de produtores para formar milícia

Edivaldo Bitencourt e Lidiane Kober | 04/12/2013 15:14
Movimentos sociais foram ao Fórum da Justiça Federal para protestar contra leilão, previsto para sábado (Foto: Cleber Gellio)
Movimentos sociais foram ao Fórum da Justiça Federal para protestar contra leilão, previsto para sábado (Foto: Cleber Gellio)

A Justiça Federal de Campo Grande concedeu liminar, na tarde desta quarta-feira (4), e suspendeu o Leilão da Resistência, organizado pelos produtores rurais. O pedido foi feito pelos movimentos sociais, que alegaram o acirramento do clima de violência no campo.

A juíza da 2ª Vara Federal, Janete Lima Miguel, concedeu liminar e determinou a suspensão do leilão previsto para arrecadar fundos para a contratação de seguranças e compra de armas para proteger as propriedades rurais das invasões indígenas.

Até ontem, a Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) já tinha arrecadado mais de mil animais, de galinhas a bovinos, para vender no sábado. A expectativa era arrecadar R$ 1 milhão com o leilão.

Para o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Botarelli Cesar, a decisão barra a contratação de milícias armadas nas fazendas. “A liminar restabelece a ordem, a paz e a segurança no campo”, frisou o sindicalista, que está no Fórum da Justiça Federal acompanhado de lideranças indígenas e do vereador Zeca do PT.

Ele disse que o pedido para suspender o leilão foi feito ontem. Na tarde de hoje, índios foram à Justiça federal para defender a suspensão do leilão.

O presidente da Acrissul, Chico Maia, rebate que o leilão tenha o objetivo de contratar milícias. Ele disse que o objetivo é arrecadar fundos para defender os produtores rurais. Além de seguranças, eles pretendiam reforçar as campanhas e realizar a defesa dos produtores rurais em ações na Justiça.

Nos siga no Google Notícias