A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

08/05/2009 14:23

Liberdade de Marlene é ameaça para mãe de Dudu

Redação

A liberdade da mulher que assistiu ao espancamento do menino Luis Eduardo Gonçalves, o Dudu, tem sido uma ameaça à segurança de seus outros dois filhos, afirma a mãe do menino, Eliane Martins.

Ela conta que depois que Maria de Fátima Leandro, de 53 anos, conhecida como Marlene, foi solta, na última quinta-feira (30), já ouviu ameaças por meio de moradores do bairro. Segundo 'boatos', a mulher teria dito que o filho, que está preso por tentativa de homicídio, tem uma lista com as três pessoas que pretende matar quando sair da prisão.

"Não tenho medo por mim, mas pelos meus filhos que moram lá", afirma. A mãe de Dudu diz que não entende porque Marlene foi solta, mesmo após confessar que viu o espancamento do menino.

Mas, não é somente a presença da mulher que assusta Eliane, mas o fato de seus dois filhos, de 14 e 17 anos, serem vizinhos das famílias dos adolescentes apreendidos por participar do assassinato de Dudu. "Eu tenho que tirar eles de lá", diz Eliane.

Ainda abalada com o caso, ela afirma que não tem sossego sabendo que os filhos podem estar em perigo. "Se eles fizeram aquilo com o neném (Dudu), porque não podem fazer com os outros?", desabafa.

Além das supostas ameaças espalhadas por Marlene, a mãe do menino diz ainda que um dos adolescentes apreendidos teria mandado recado para que os filhos dela não andassem pelo Jardim das Hortênsias sozinhos à noite, porque poderia ser perigoso. "Ele deve ter ouvido alguma coisa lá onde está preso pra dizer isso", ressalta.

Para ela, depois que os envolvidos saírem da cadeia o risco para os outros dois filhos deve aumentar. "Você não sabe como eles vão sair de lá", afirma a mãe de Dudu.

Testemunha - Principal testemunha do assassinato do menino, Marlene diz que sua vida 'está uma desgraça' por conta do envolvimento com o caso.

A mulher diz que após a divulgação do assunto, já perdeu o emprego, é apontada pelas pessoas na rua e alguns moradores do bairro não conversam mais com ela. "Eu fico até com medo de sair de casa agora", conta.

Sobre as ameaças que teriam sido feitas por seu filho, ela garante que não são verdadeiras. "Meu filho não vai fazer esse tipo de coisa não", afirma.

Ela ressalta que gosta muito de Eliane, mãe de Dudu, e chegou a pedir perdão a ela por não ter contado antes sobre a morte do menino. Mas, Eliane não aceitou.

Marlene diz ainda que não sente raiva de Eliane, e gostaria que a mãe de Dudu entendesse seus motivos para não ter revelado antes o assassinato do menino.

"Eu era sozinha mais meus netos aqui em casa", conta ela, ao revelar as ameaças que Cido, autor do crime, fazia à sua família.

Moradora do bairro Jardim das Hortensias há 16 anos, ela diz que a rotina no bairro ficou perigosa para a filha e a neta que também moram no local. "Acabou foi com a minha vida", completa Marlene.

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions