A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

13/08/2010 06:50

Médico é condenado a 47 anos por assassinato de colega

Redação

Após 15 horas de julgamento, o médico paraguaio Miguel Angel Carvalhar Arevalos, de 44 anos, foi condenado a 47 anos de prisão pela morte de seu colega de profissão Ademir Aparecido Pimenta dos Reis.

Também foi julgado o vigilante Wandir Roque Fernandes da Silva, de 48 anos, que vai cumprir pena de 34 anos e seis meses de prisão em regime fechado. O médico Ademir foi assassinado em uma emboscada no dia 21 de março de 2007, na MS-473.

O julgamento, realizado em Dourados, começou na tarde de ontem e terminou às 3 horas desta sexta-feira. O júri foi formado por seis homens e uma mulher.

Wandir Roque confirmou que estava junto com o médico no dia do crime, era dono do revólver e que efetuou os disparos contra as vitimas. Contudo, relatou que atirou para o alto, sem atingir ninguém.

Já Miguel Angel confessou que fez um único disparo contra o médico. Ele também foi julgado por tentativa de homicídio contra a psicóloga Sueli Pinheiro e a enfermeira Amanda Barth, que eram passageiras do carro em que o médico seguia de Taquarussu a Nova Andradina. Elas também foram baleadas, mas sobreviveram.

Em depoimento, Miguel, que é casado, afirmou que o crime foi arquitetado pela auxiliar de enfermagem Fátima Granja Rodrigues, com quem manteve um relacionamento amoroso. Segundo ele, a vítima também se envolveu com Fátima. No depoimento, Miguel Angel ainda disse foi torturado quando estava preso em Nova Andradina.

O júri foi conduzido pelo juiz Rubens Witzel Filho, da comarca de Maracaju. O advogado Omar Blanco defendeu o Wandir Roque e os advogados Leandro Gianni, Marcio Ricardo e Upiran Jorge, o médico Miguel Angel. A acusação foi feita pelo promotor Elcio Felix D'angelo.

O médico e o vigia já estavam presos na penitenciária Harry Amorim Costa, em Dourados. Fátima está em liberdade e ainda será julgada.

Na época do crime, além de motivo passional, foram apresentadas outras duas hipóteses: de que Miguel teria matado o colega para assumir seu emprego; e de que Ademir teria denunciado o médico paraguaio por uso de falso diploma. (Colaborou Marcos Donzeli).

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions