A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

10/06/2012 17:57

Médicos fazem paralisação contra Medida que prevê 50% de redução salarial

Paula Maciulevicius

Texto prevê que profissionais, ao ingressar na carreira, tenham que cumprir 40 horas semanais e receber o mesmo valor por 20 horas – uma redução de 50% na remuneração

Médicos servidores públicos federais fazem paralisação na próxima terça-feira (12) em protesto contra a Medida Provisória nº 568, de 2012, que trata da remuneração e da jornada de trabalho de profissionais de saúde. No mesmo dia está prevista a votação de admissibilidade da Medida pela Comissão Mista do Congresso Nacional.

De acordo com a Fenam (Federação Nacional dos Médicos), o texto prevê que profissionais que atualmente mantém jornada de 20 horas semanais no serviço público, ao ingressar na carreira, tenham que cumprir 40 horas semanais e receber o mesmo valor – uma redução de 50% na remuneração.

A medida é considerada pelo presidente da entidade, Cid Carvalhaes, como um enorme retrocesso em um país já tão castigado pela carência do SUS e pela desvalorização dos profissionais de medicina, informou a Fenam.

Com a paralisação o objetivo da categoria é pressionar o Parlamento e abrir caminho para a primeira greve geral de médicos servidores federais no país. Ainda segundo a Fenam, as entidades médicas compreendem que a MP traz a determinados setores do funcionalismo avanços importantes, que devem ser mantidos e até ampliados.

Entretanto, nos artigos 42 e 47, prejudica os atuais e futuros servidores médicos, dobrando jornadas sem acréscimo de vencimentos, reduzindo a remuneração em até metade e cortando valores de insalubridade e periculosidade. As perdas atingem, inclusive, aposentados e pensionistas. (Com informações da Agência Brasil)

ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


Isso é para poder garantir os altos salários deles mesmos (MP) que, por sinal, aprovam rapidinho um aumento salarial, enquanto outras classes tem que ficar brigando para não baixar. ÊITA BRASIL!!!
 
Márcio Patrocinio em 11/06/2012 07:55:39
que abuso !!deveria reduzir o salario dos politicos que nada contribuem com a nação os medicos lutam para salvar vidas estudam durante toda sua vida e muitas vezes perdem o convivio familiar pois tem dedicação exclusiva em hospitais publicos . como fala o jornalista boris cazoi "isto é uma vergonha "
 
sonia maria em 10/06/2012 08:21:42
Um absurdo!
Como assim reduzir o salário? Existe isso? Me parece inconstitucional!
 
Josiane Fernanda em 10/06/2012 08:08:09
Porque esses politicos nao reduzem o salario deles e tambem trabalhem de verdade para a populacao?
Isso que realmente está precisando!
 
Adriano Volpini em 10/06/2012 06:05:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions