A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/02/2014 16:29

MPE e CNJ podem investigar compra de shopping por Tribunal de Justiça

Edivaldo Bitencourt
Compra de Shopping 26 de Agosto pode ser investigada (Foto: Cleber Gellio)Compra de Shopping 26 de Agosto pode ser investigada (Foto: Cleber Gellio)

O MPE (Ministério Público Estadual) e o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) podem investigar a compra do Shopping 26 de Agosto por R$ 38,870 milhões pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). O pedido de investigação foi feito por um morador de Campo Grande, José da Silva.

Ele cita matérias divulgadas pelo Campo Grande News, que mostram que a desapropriação não teve o aval do Tribunal Pleno, o órgão máxima do Tribunal de Justiça, e ainda sofre oposição de 16 dos 31 desembargadores do órgão.

Conforme levantamento feito pelo TJMS, além do centro comercial, uma equipe avaliou outros dois prédios para implantar a Central dos Juizados Especiais. O Hotel Campo Grande poderia custar R$ 21 milhões aos cofres públicos, enquanto o Shopping Marrakech custaria R$ 24,5 milhões. Os dois empreendimentos possuem o tamanho mínimo exigido pelo Tribunal de Justiça, que é de 8 mil metros quadrados.

A outra alternativa, a construção de um novo prédio, poderia economizar R$ 22 milhões ao poder público. Considerando-se o valor de R$ 2.110 por metro quadrado, o órgão investiria R$ 16,880 milhões. Só a economia, em relação ao valor gasto com a desapropriação do Shopping 26 de Agosto, seria de R$ 21,990 milhões.

José da Silva fez o pedido de investigação no MPE, no CNJ e no Tribunal de Contas do Estado. Na sua avaliação, o caso requer “auditoria independente”, porque pode ser um ganho para o Poder Judiciário e para a população.

“Porém, se o imóvel em questão contém avaliação acima da média de mercado, é dinheiro público que terá sido malversado em flagrante prejuízo da população e em favorecimento de algumas pessoas”, destaca Silva, no documento protocolado no MPE e enviado ao CNJ.

Ele ainda cita que o prédio da antiga Estação Rodoviária foi oferecido ao Tribunal de Justiça, mas o pedido foi recusado. José da Silva frisa que o valor gasto na adaptação do prédio seria bem inferior aos R$ 38 milhões gastos com a compra do centro comercial popular, que fracassou e causou prejuízos para centenas de investidores e empresários.

José da Silva cita que a desapropriação não é o melhor procedimento a ser adotado no caso do Shopping 26 de Agosto.

O Campo Grande News procurou a assessoria do Tribunal de Justiça para falar sobre o pedido de investigação, mas a informação é de que não haverá mais manifestação sobre o tema com este portal. 

 



Pra mim esta na cara que tem alguem por tras disso, financiando certas notícias. O mp ou mesmo a polícia federal devia investigar os que estao acusando. Com certeza iriam achar gente que quer deturpar a imagem do presidente, que claramente fez um investimente barato perto do que isso vai representar para a população que precisa de uma instalação digna para os juizados. Absurdo acusações gratuitas e levianas.
 
Geovani Astor Viscardi em 19/02/2014 12:40:43
Parabéns ao Sr José da Silva, todos nós deveríamos ter esse tipo de atitude, mas infelizmente somos muito acomodados e aceitamos calados todo tipo de falcatrua feita pelos nossos governantes. Esperamos que se faça realmente uma profunda , séria e independente investigação sobre essa NEGOCIATA. Mais uma vez PARABÉNS Sr. JOSÉ DA SILVA!!!!
 
luiz humberto em 19/02/2014 09:37:49
Quem é José da Silva??? Não entendi qual é a irregularidade e a insistência dessas notícias sobre uma desapropriação barata e a serviço da população... E De GRAÇA! O perito contratado se manifestou recentemente sobre o equívoco da interpretação do jornal sobre o suposto superfaturamento. Quem falou que as outras áreas são melhores que o 26 de agosto? Ao que consta, tem um estudo realizado e até mesmo um pedido de doação de prédio ao tj, mas não foram atendidos. E jamais (Jamaiss) a construção de obra é a melhor solucão. Nesse país as obras construídas atraem recurso pra tudo quanto é bolso. A verdade é que o juizado esta um caos e quero que pressionem o tj para reformar logo o prédio. Isso sim está demorando!
 
Camilo Boscoli em 19/02/2014 01:56:12
Esperamos que seja apurado com rigor as denuncias e se ao final algo for confirmado, que o Presidente do TJMS seja punido rigorosamente, mais ao contrário, que os acusadores sejam também denunciados e julgados.
 
nelson silva em 18/02/2014 20:26:11
Demorou !!!
Só acredito vendo, por que esse MP só investiga vereador, prefeito do interior, da capital, assembleia e governo, o MP não faz nada.
Até as pedras sabem que tem rolo nessa compra.
 
Maria Eduarda Popes em 18/02/2014 20:05:36
Ah bom, eles compraram o prédio, não o shopping, que são coisas diferentes!
 
João Dias em 18/02/2014 17:48:45
Sinceramente, não acredito que essa compra vá ser investigada. Todo mundo já recebeu o seu, e tá tudo certo. É uma 'ação entre amigos'. E, vamos lá que seja investigada pelo CNJ, o único Órgão que poderia punir. E qual seria a punição? Aposentadoria para o Desembargador, com salário integral. E, assim, tudo acaba bem. Alguém duvida?
 
JOSE DOMINGOS em 18/02/2014 17:30:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions