A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

13/02/2014 16:26

TJ economizaria R$ 22 milhões com prédio novo no lugar de shopping

Edivaldo Bitencourt
Presidente do Tribunal de Justiça optou pelo projeto que trará mais gasto aos cofres públicos (Foto: Pedro Peralta)Presidente do Tribunal de Justiça optou pelo projeto que trará mais gasto aos cofres públicos (Foto: Pedro Peralta)

O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) poderia economizar aproximadamente R$ 22 milhões caso optasse em construir um novo prédio para a Central dos Juizados Especiais. No entanto, o presidente do órgão, desembargador Joenildo de Souza Chaves, optou, sem consultar os demais magistrados, pela desapropriação do Shopping 26 de Agosto por R$ 38,870 milhões.

Conforme ofício assinado pelo arquiteto Reinaldo da Rosa Silveira, diretor da Secretaria de Obras do Tribunal de Justiça, o custo do metro quadrado de uma obra é de R$ 2.110. O valor é considerado com base no gasto das obras executadas no interior para a construção das comarcas de Sete Quedas, Miranda e Nova Alvorada do Sul.

Considerando-se este valor, que é citado no documento encaminhado à presidência do TJMS, o órgão investiria R$ 16,880 milhões. Só a economia, em relação ao valor gasto com a desapropriação do Shopping 26 de Agosto, seria de R$ 21,990 milhões.

No caso da construção, o valor não inclui o investimento feito na aquisição do terreno. No entanto, também não contabiliza o valor necessário para adaptar o prédio do centro comercial para receber as unidades do Poder Judiciário.

Esta não foi a única opção mais barata descartada pelo presidente do Tribunal de Justiça. Joenildo de Souza Chaves também descartou comprar o Hotel Campo Grande, com 13 pavimentos e área construída de 8.834 m² (avaliado em R$ 21 milhões), e o Shopping Marrakech, com 10.040 m² (R$ 24,5 milhões).

No documento, Silveira alerta que os dois últimos não seriam adequados devido à falta de local para estacionamento.

A compra do Shopping 26 de Agosto, que foi construído para ser popular e fracassou após frustrar o sonho de dezenas de pequenos investidores, também não tem o apoio da maioria dos desembargadores.

Em carta, 16 dos 31 magistrados do TJMS pediram avaliação mais criteriosa e submissão da compra ao Tribunal Pleno. Eles destacaram que a compra só poderia ser feita após, no mínimo, uma comissão analisar a possibilidade de se economizar até R$ 18 milhões com a compra do Hotel Campo Grande ou o Marrakech.

O prédio será adaptado para receber todos os juizados especiais de Campo Grande, que passarão a funcionar em um único local por determinação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

Tribunal ainda não sabe valor das obras no Shopping 26 de Agosto
O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) ainda não sabe o valor que deverá gastar com as obras de readequação do Shopping 26 de Agosto, em ...
Tribunal de Justiça nega pedido para adiar vencimento do IPTU
O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) negou, nesta segunda-feira (10), pedido do Diretório Estadual do PRP (Partido Republicano Democrat...


Trabalho com imóveis há 30 anos e sou de família tradicional (Creci3210).
Garanto e aposto com qualquer um que tanto o Marrakesh quanto o Hotel CGde não atenderiam a necessidade do Tribunal de Justiça.
Construções antiquadas e sem estacionamento para a população.
Em relação ao Shopping 26 de Agosto; na minha avaliação, o imóvel em questão vale no minimo 45 milhões de reais.
4465 metros de terreno a 2.000 o m2.= 9 milhões de terreno
3 pavimentos e mais a cobertura x 4465 = 18.000 m2 de construção x 2.000 = 36 milhões
total = 45 milhões.
Sem dizer na construção novíssima, e estacionamento para 300 veículos.
Por isso considero que o Tribunal fez um excelente negócio.
Parabéns ao governador e ao Tribunal de Justiça pela grande aquisição.
 
semi kalil georges em 14/02/2014 14:03:09
Não sei o porquê de tantos questionamentos... Fato é que se fosse feita a opção pelo Hotel Campo Grande, por exemplo, falariam que o gasto para reformá-lo sairia mais caro que o próprio preço pago pelo imóvel... Que alguém lucraria com a reforma... Agora falar em economizar 22 milhões com a construção de uma sede própria, sem contabilizar diversos outros aspectos relevantíssimos, tais como o terreno e localização deste, é nos chamar de idiotas! Acredito que a população sul-mato-grossense em muito tem a ganhar com a aquisição feita. O Shopping 26, além de bem localizado e acessível, certamente irá dar uma nova roupagem aos Juizados Especiais, atualmente com instalações precárias.
 
Marcelo Dias em 14/02/2014 12:57:21
ESSE PRÉDIO ESTAVA SENDO VENDIDO POR R$-18.000.000,00, MAS COMO DINHEIRO PÚBLICO VALE MENOS, PAGARAM R$-40.000.000,00
QUEM GASTA NOSSO RICO DINHIEIRINHO, NÃO SABE QUANTO CUSTA PARA PARA GANHAR... BRASIL...
 
MAERCIO GRACINI em 14/02/2014 12:56:14
Os leitores que me desculpem, mas eu realmente acho que tem alguem fabricando noticia para afetar o que já está feito, também não constatei irregularidade alguma na venda do imóvel, provavelmente o dono do Marrakech ou do Hotel Campo Grande ficaram ofendidos por não terem seus imóveis vendidos e estão plantando a sementinha do mal na cabeça dos indignados, o negócio me pareceu legítimo, o preço, na minha opinião, está abaixo do que deveria ser pago, mas todos os dias aparece uma picuinha nova para tentar manchar a imagem do negócio, isso me parece noticia plantada por alguem que não ficou satisfeito, por algum motivo.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 14/02/2014 12:26:00
Podem falar qualquer coisa, que o Hotel Campo Grande é mais bonito e estruturado, que construir um novo seria jóia, menos que haverá desvio. Segundo os credores que se habilitaram no processo, O dono do prédio tem mais dívidas que o valor da indenização que será paga para ele. Só o banco vai levar mais de 20 milhões. Além dos 300 lojistas que serão indenizados, mais de 50 já ingressaram com ações e o Fisco que tem mais de dois milhões. Só olhar o processo no Fórum que dá para ver nitidamente que o turquinho dono do prédio não vai ver nada disso aí. Acho que o Governo que precisava atender os Juizados da Justiça quis remediar socialmente os comerciantes dali.
 
Leandro Costa Nantes em 14/02/2014 10:34:12
O arquiteto não colocou o terreno, as escadas rolantes, elevadores, banheiros, tem que recalcular, ou então me passa o telefone dele que vou encomendar um shopping por este preço que ele calculou e ficar rico rapidinho.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 14/02/2014 10:33:10
Assim como eu não dou pitaco em decisões judiciais (por não ser minha seara) o que os desembargadores têm de conhecimento para contestar a compra? Não há como se construir uma obra daquele porte hoje em CG por 2.200,00!!!! Só para começar, me indiquem um terreno daquele tamanho disponível para compra (o da Dom aquino com calógeras não serve, o dono não o vende!).. Que os sapateiros não passem das chinelas!!!
 
Marcos Rumolli em 14/02/2014 10:27:26
Primeiro a economia era comprar o Hotel Campo Grande ? Agora é construir um novo ? Perai ta faltando coerência. Congratulações ao Governador. Um prédio de qualidade ao povão que vai ter justiça de graça.
 
João Mendes em 14/02/2014 10:07:50
Agora está explicado porquê este senhor fechou algumas comarcas, creches do TJ, e indeferiu inúmeros pedidos de concessão de benefícios aos servidores do Poder Judiciário. Precisava de grana pra comprar o shopping falido de um certo empresário. Será que o nobre presidente do TJMS, e o empresário proprietário do shopping, Sr. Rubens Salim Saad, seriam, de certa forma, "próximos"?? Fica a dica...
 
Rodrigo Silva em 14/02/2014 09:43:46
Eliane de Arruda, acho que você não interpretou corretamente o texto. Só acho!!
 
André Périccles em 14/02/2014 09:29:00
Li os autos da desapropriação nº 0801653-06.2014.8.12.0001 após pesquisa nome da parte Shopping 26 de Agosto que tramita no Fórum de Campo Grande e só o Banco que financiou o Shopping vai ficar com mais de 20 milhões por conta das dívidas do proprietário. Ele ainda vai ter que pagar mais de 300 lojistas, cerca de 50 mil cada um e um batalhão de impostos. Pelo que ali consta ta difícil enxergar maracutaia. Também consta no processo que o Governo detectou inviabilidade de compra do Marrakesh e do Hotel Campo Grande. Alguém que não saiu ganhando ou que não gosta deste juiz esta promovendo as notícias.
 
João Melo em 14/02/2014 09:14:25
Construir só é bom para o governo, porque se pode atrasar a obra emendar várias vezes o projeto para superfaturar. Não conheço esse shopping 26 mas de cara já da para ver que construir seria uma fria enorme, só ver a roubalheira dos Estádios da copa. O Governador acertou nessa.
 
Sergio Farias em 14/02/2014 09:00:40
Caramba, como que pode ser tão ruim se conta assim? E pra construir um shopping daquele tamanho nos dias de hoje, com o incc nas alturas? Com subsolo, projetos, escada rolante, elevador, ar condicionado central e etc? Parabéns ao presidente do tjms. Continue deixando de ouvir alguns nomes conhecidos da maracutaia.
 
Jânio Delmondes em 13/02/2014 23:05:48
só falta achar o terreno no centro para abrigar esse prédio, né, espertinhos.
 
luiz inacio em 13/02/2014 22:56:51
Estou com vergonha.
 
João Carlos em 13/02/2014 21:14:53
Meu dinheiro pra variar está sendo usado de forma absurda. Mas o que podemos fazer se são os maiorais da justiça a frente dessa compra né ? Viva o Brasil. Aqui nem a justiça é clara.
 
Yara Jane em 13/02/2014 20:57:29
corrijam-me se eu estiver errado, mas o shopping 26 de agosto não foi pra frente por falta de estacionamento.
 
joao renato em 13/02/2014 19:16:32
SÓ DIGO UMA COISA. Nunca foi tão lucrativo falir um shopping. Isso foi tudo combinado em churrasquinho antes mesmo da falência. Com preço assim, vou construir shopping e pedir falência... (pois dá muito lucro falir).
 
Fernando Giardino em 13/02/2014 18:36:14
Cadê o MP, OAB para ingressar uma ação civil pública no STJ?? dinheiro público dá em árvore?
 
Marcelo Maurício França em 13/02/2014 17:59:22
Ah tá que vão construir uma obra de 13.000 metros quadrados com isso. Fazer obra é pedir para superfaturarem milhões e milhões. Olha os estádios da copa. Alguma obra saiu pelo preço que foi fixado no projeto ? Muito melhor comprar o prédio novo que esteja pronto e na área central ainda. Tem algo por trás dessas notícias ai.
 
Mauro Silva em 13/02/2014 17:45:05
Então, o dinheiro é do povo né? Tanto faz se vai pagar 10 ou 50 mi.
R$ 2.110/m² ainda é um preço alto, pelos padrões das obras que são construídas, qualquer construtor sabe disso. Creio que este foi o negócio de compadres....então tá tudo certo!!!!
 
Regisnaldo Marin em 13/02/2014 17:18:19
É uma vergonha o que ocorreu e vai ficar por isso mesmo não tem nenhuma medida e ninguém que tome uma atitude para desfazer o mal feito? Viva Campo Grande!!!!!
 
Jose Roque Leite em 13/02/2014 16:45:56
Engraçado , o valor pago pela desapropriação não foi 38. milhões?, como que agora apareceu 21.990, milhões onde foi parar o restante do dinheiro pago pelo TJ da desapropriação do shopping????????
 
Eliane deArruda em 13/02/2014 16:45:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions