A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

11/09/2013 16:20

MPE vai apurar denúncia de que mirins sofreram retaliações após protesto

Edivaldo Bitencourt
MPE vai investigar denúncia de que mirins são alvos de retaliação após protesto (Foto: João Garrigó/Arquivo)MPE vai investigar denúncia de que mirins são alvos de retaliação após protesto (Foto: João Garrigó/Arquivo)

O MPE (Ministério Público Estadual) vai apurar as denúncias de que alunos e professores do Instituto Mirim, que participaram de protesto contra em julho, são alvos de perseguição, humilhações e retaliações. O mesmo caso, publicado hoje pelo Campo Grande News, foi comunicado à Ouvidoria do órgão por meio de denúncia anônima.

A investigação será conduzida pelo promotor de Defesa da Infância e Juventude, Sérgio Harfouche. De acordo com a assessoria, ele deve instaurar o procedimento amanhã, quando volta de viagem.

O caso causa polêmica desde julho, quando 50 mirins foram realizar um protesto em frente ao Paço Municipal. De acordo com ex-professores da instituição, que pediram anonimato temendo represálias, os estudantes não estão sendo encaminhados para o mercado de trabalho como forma de “castigo”. Uma aluna, conforme a professora, chegou a ficar trancada por horas em uma sala até deletar todos os colegas que participaram do protesto contra o prefeito Alcides Bernal.

Os alunos relataram que são humilhados por uma professora. “Ela diz: vocês são pobres, pobres, tem que fazer o que gente manda”, revelou a denunciante. “Os alunos me contaram ainda que ela diz que o mirim não precisa aprender muita coisa para limpar geladeira e recolher lixo dos banheiros. Isso é um absurdo”, avaliou a pós-graduada em Comunicação Empresarial.

No dia 3 de julho, o prefeito Alcides Bernal recebeu uma comissão dos manifestantes e prometeu manter os docentes no cargo. No entanto, dos 11 professores, nove foram demitidos no retorno das férias.

Além de se adaptar com o novo quadro de educadores, os líderes do protesto passaram a ser alvos de perseguição. Conforme as duas ex-professoras, uma delas, inclusive, já empregada, os jovens as procuram para desabafar e relatar o drama.

“Fiquei chocada com o caso de uma menina que a coordenadora deixou uma hora trancada em uma sala para refrescar a memória e delatar lista dos colegas que participaram do protesto”, contou a professora, formada em Ciências Sociais.

Alunos do Instituto Mirim convocam protesto após demissão de professores
Alunos do Instituto Mirim de Campo Grande convocaram nas redes sociais manifestação para a tarde desta quarta-feira, às 13h, em frente à Prefeitura. ...
Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


Junior Silva o senhor não deveria usar uma pequena minoria para representar todos os mirins , pois no curso o que não faltavam eram conselhos para houvesse respeito nos ônibus , pena que nem todos aprenderam . E em relação a tarifa ela é sim paga , durante o curso os custos com transportes são pagos pelos pais e quando o mirim começa a trabalhar é descontado em seu salário . Espero que se essas acusasões forem verdadeiras os responsaveis sejam punidos , e lembrando o pessoal da unidade I que esses casos são referentes a unidade II .
 
Natália Ferreira em 13/09/2013 12:09:01
Olá senhor Júnior Silva, acho que o Sr está bem por fora do que realmente acontece.
Prefeitura Municipal de Campo Grande existe mais de 50 Mirins, muitos SIM ficam apenas enrolando e são bem mal educados, mas em seu comentário o Sr foi muito generalizado. Sugiro que vá a alguns outros órgãos (que são a maioria) e veja como são os outros mirins mesmo.
E isso de algazarra no ônibus, veja bem que são os mirins cursando ainda e que há uma fiscalização da Instituição sobre isso, caso tenha algo a reclamar, sugiro que vá até a Instituição Unidade 1 e faça sua reclamação na coordenação que será tomada as providencias. Sim pagamos como todos os trabalhadores o transporte coletivo, que é descontado em nosso holerite, alem do mais, todos os mirins são funcionários públicos tercerizados.
 
Junior Fernando em 13/09/2013 11:12:08
O Instituto Mirim continua tendo a mesma qualidade de ensino e nao temos do que reclamar
temos que analisar os fatos que por acaso sao todos mentira mas do mesmo jeito vamos investigar para deixar isso bem claro e agora com essa noticia caluniosa que a mídia está compartilhando nós mirins estamos de consciência limpa pois sabemos que é tudo mentira
 
Edilaine Martins em 13/09/2013 07:44:37
que falta de nao ter oq faze...esse povo q nao faz nada da vida e fica falando mau do povo q ta la estudando e garantindo seu futuro e que vergonha pros mirim q estao ali tendo uma oportunidade e te a cara de pau de fala assim da instituição sendo eu que so mirim nada disso o ocorre pelo contrario eles dao do melhor para os mirim e isso nao deve fica barato pq fala é facil quero ver prova...falo isso pq eu sou mirim e tenho orgulho de ter essa oportunidade
 
thiago gomes em 12/09/2013 22:45:13
Sou mirim, e não concordo com toda essa calunia. a instituição é ótima, somos respeitados, e não nos forçam a nada!!! São apenas algumas pessoas mal intencionadas que mentem sobre algo que nunca aconteceu.
 
Emanoella Santos em 12/09/2013 16:17:02
sou mirim estou cursando a unidade 1 estamos realmente chateados com essas calunias.... tudo mentiraaaaa. o instituto é ótimo isto eu comprovo, estão falando mesmo não sabendo a verdade ..............
 
luana lourenço em 12/09/2013 16:14:13
Tudo isso é um absurdo!, porque nenhum dos mirins estão sendo perseguidos, muito menos retalhados. E sobre a professora que diz que os alunos são pobres e tem que fazer o que ela manda é tudo mentira! Essa professora apenas diz que no seu passado ela sofreu muito e era pobre mas nunca disse isso sobre os alunos. Sou mirim e sei que todas essas informações são mentiras e no final todos saberão a verdade.
 
Fábio Andrade em 12/09/2013 08:38:58
Que vergonha isso! Eu gostaria de estar fazendo curso ainda, só para organizar essas coisas, quero ver esses profesorzinhos falarem assim comigo ou com algum de meus colegas. A Instituição é ótima, mas falta a qualificação dos professor e disciplina. Se com calma as coisas estão desandando, faça então como no quartel, ai eu quero ver não melhorar. Em vez de ser um orgulho, tá virando é bagunça total. Toma jeito Campo Grande!!!!
 
Junior Fernando em 12/09/2013 08:26:06
Esses Mirins nem trabalham como deveriam. Ficam o dia inteiro acessando o Facebook pelo celular e ainda reclamam da administração do prefeito. Bando de moleques que não tem o mínimo de educação. Dentro do ônibus, gritam, fazem algazarra, promovem a pertubação de quem realmente busca o "sustento da família". Aliás, por falar em transporte, nem se quer pagam a tarifa de ônibus enquanto quem realmente trabalha vê ao final do mês 8% de seu salário retirado e repassado para as empresas de transporte público. E, se realmente a professora havia dito o que a reportagem publicou deverá ser investigado.
 
Júnior Silva em 12/09/2013 07:34:54
O Que? Parece brincadeira!!! Sendo verdade (porque tudo sempre tem que ser apurado), rua para esses canalhas, onde já se viu ameaçar menores? Rua,rua,rua!!!!
 
Marcos Rumolli em 12/09/2013 06:27:30
esse é o bernal gente , tudo o que acontece ele coloca a culpa na gestao passada , gente esse cidadao nao tem piedade de ninguem como ele diz que é rico , ele pode fazer e acontecer que ninguém faz nada , quando a coisa aperta ele corre para a população , vamos acordar campo grande antes que seja tarde
 
roni santos em 12/09/2013 00:07:11
isso MPE ,vamos ver se essa professora aprendiz de ditadora...vai ter coragem na cara de falar a verdade para o MPE...que vergonha professora ficar humilhando crianças..se o meu filho me relata isso e vou ai na mirim pra vc falar pra mim tudo que fala para as crianças...pois quero ver vc falar para o pais destes alunos...vai apanhar para aprender a respeitar o sr humano...
 
antonio alves em 11/09/2013 23:16:26
Na condição de ex-mirin e agora educador repudio todo e qualquer ato que não valorize os alunos que ali adentram. Se as denuncias se confirmarem, espero que os responsáveis sejam devidamente punidos.
 
Robson Pereira em 11/09/2013 21:36:41
Como é triste ver uma Instituição que já foi tão respeitada, aparecendo direto na mídia desta maneira somente com noticias que a levam para fundo do poço. Como pode uma ONG ser comandada pelos politicos perseguindo professores e funcionários, é muito triste muito triste.
Fiquei realmente espantada com esta noticia e me pergunto onde está o ECA . ONG não é do terceiro setor?O que os políticos estão se metendo lá? Quem é esta Pedagoga que prende adolescente em sala daqui uns dia usam palmatória. Realmente está na hora do Ministério ver se ainda podem chamar a Mirim de ONG se é os politico que manda.
 
Vania Moreira em 11/09/2013 19:28:59
Este é o governo que se diz: "primeiro as pessoas". E agora vem bradar que não pode ser cassado porque foi o povo que o colocou na prefeitura. Não sei se ele se lembra, mas o Collor também havia sido eleito pelo povo...
 
Leandro Moura em 11/09/2013 17:16:50
Achei isso uma total humilhação! Sou mirim e cursei na unidade 1, todos os professores sempre nos trataram bem, agora isso que esses outros professores falaram para os novos alunos é coisa de pessoa que não respeita a si mesmo, quanto mais o próximo, Bernal devia tomar uma atitude logo, pois isso é uma vergonha!
 
Lucas Matheus em 11/09/2013 16:52:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions