A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

21/11/2012 13:18

Na Assembléia, índios negam que estejam se armando

Elverson Cardozo e Paula Maciulevicius
Alberto França, representante da etnia Terana entre Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia. (Foto: Rodrigo Pazinato)Alberto França, representante da etnia Terana entre Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Representante dos indígenas da etnia Terena, Alberto França, de 46 anos, utilizou a tribunal da AL (Assembléia Legislativa) de Campo Grande nesta quarta-feira (21) para rebaterr acusações que foram feitas à comunidade Buriti na semana passada.

Na ocasião, dois indígenas de Campo Grande foram à AL denunciar que índios terenas da aldeia estavam armados e com intenção de ocupar fazendas na região.

Hoje, durante pronunciamento, Alberto, disse que a intenção da denúncia era a de prejudicar a imagem da comunidade e que a dupla se passou por defensora dos direitos humanos.

Segundo o líder, os denunciantes nunca foram da aldeia e nem representam o povo que vive no local.

“Não existe armas dentro da aldeia. Queremos esclarecer e pedimos à Assembléia para nos apoiar nesse sentido, para que acabe nosso sofrimento”, disse.

A luta por terra, afirmou, vai continuar independente da situação. Os indígenas da aldeia Buriti ocupam atualmente uma área da fazenda 3R. São 2,9 mil hectares para 5 mil indígenas. A área total que eles reivindicam tem 17 mil hectares.

“Nós vamos lutar sempre. Não é a Funai. É a gente. É o direito que nós temos adquirido e estamos em busca disso”, discursou.

O pedido de resposta, solicitado ao deputado Pedro Kemp (PT), levou à Assembléia 50 indígenas, das 9 aldeias da região entre os municípios de Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia.

O parlamentar também se posicionou sobre o assunto. Disse que na semana passada a tribuna foi utilizada para desqualificar o trabalho que o governo federal vem fazendo com relação à indenização e demarcação de áreas indígenas.

Pedido de resposta levou à Assembléia 50 indígenas, das 9 aldeias da região. (Foto: Rodrigo Pazinato)Pedido de resposta levou à Assembléia 50 indígenas, das 9 aldeias da região. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Kemp afirmou ainda que a dupla que levantou suspeita sobre a comunidade chegou a apresentou uma fita contendo gravação telefônica. O arquivo, disse, seria de uma negociação para compras de armas como fuzis.

O petista saiu em defesa dos indígenas. “Eles não tem a intenção de invadir. “Nós abrimos a palavra para os representantes dessas nove aldeias se defenderem. Eles fizeram a solicitação para desmentir a denúncia”, declarou.

O deputado Zé Teixeira - que na casa sempre defendeu o setor ruralista – confirmou a entrega de gravação telefônica mencionada por Pedro Kemp e disse que a dupla que acusa os índios levou o áudio à PF (Polícia Federal).

Eles também teriam apresentado um caderno de 2009, que afirmam ser da comunidade Buriti, onde costa o controle da quantidade de arma, o tipo e a organização dos indígenas em um revezamento para guarnecer o território.

Para Zé Teixeira, os índios não aceitam a decisão da justiça. “Querem ampliar o território de qualquer forma”, avaliou.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions