A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

26/05/2015 19:42

Na contramão do Ministério da Saúde, MS registra aumento da dengue em abril

Antonio Marques
Ministério da Saúde aponta queda nos casos de dengue no país em abril. Em MS a queda aconteceu a partir de maio  (Foto: Marcos Ermínio)Ministério da Saúde aponta queda nos casos de dengue no país em abril. Em MS a queda aconteceu a partir de maio (Foto: Marcos Ermínio)

Na contramão dos dados divulgados hoje (26) pelo Ministério da Saúde (MS) sobre o redução de 27% no número de casos de dengue no país, Mato Grosso do Sul apresentou alta de 5% no mesmo período. O coordenador de Controle de Vetores do Estado, Gilmar Cipriano Ribeiro, alega que no mês de abril houve um pico nos casos, mas garante que o índice está em queda.

Conforme o Ministério, os dados demonstram que o pico de transmissão da doença já passou e a tendência é continuar reduzindo com a chegada do inverno. Isso também é verificado nos boletins epidemiológicos divulgado no Estado, que nas últimas três semanas apresentaram quedas acentuadas. Na 18ª semana foram registrados 1.361 casos, contra 766 casos na 19ª.

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, em Mato Grosso do Sul foram registrados 4.560 casos em março, contra 4.799 em abril, um aumento de 5%. Mas conforme os dados do boletim da secretaria de Estado de Saúde, no mês passado foram registrados 7.523, com pico na 14ª semana, quando ocorreram 2.093 casos da doença.

Conforme os dados do Ministério, nas primeiras 18 semanas de 2015 foram registrados 13.641 casos em MS. A planilha simplificada da secretaria estadual de Saúde para este período mostram 21.958 casos notificados. No estado já foram confirmados oito óbitos em consequência da doença neste ano. O Ministério registrou apenas duas mortes.

Gilmar Cipriano explica que essa diferença se deve ao fato de os municípios informarem os númenos de casos primeiro à secretaria e depois cadastram no Sinan (Sistema Nacional de Agravos Notificados), que é usado como base pelo Ministério da Saúde. “O Ministério não aceita nossas planilhas, apenas acatam as informações do Sinan. Nossas informações são condizentes com a realidade nos municípios”, esclareceu o coordenador estadual de Controle de Vetores.

Considerando a explicação do coordenador de Controle de Vetores da secretaria estadual de Saúde, os dados nacionais de casos notificados são muito maiores que os números apresentados pelo boletim do Ministério da Saúde, uma vez que os municípios demoram para informar o Sinan. Amanhã, 27, a secretaria estadual de saúde vai divulgar o boletim da 20ª semana, relativa aos dias 16 a 24 de maio.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions