A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

20/11/2009 09:00

No dia da Parada Gay, religiosos pregam "salvação"

Redação

No dia em que será realizada a 8ª Parada da Diversidade, a Avenida Afonso Pena e a 14 de julho, em frente à Praça Ary Coelho, amanheceram com frases religiosas pregando "salvação". Os dizeres causaram indignação em organizadores do evento.

"Nunca fomos fazer baderna em dia de Marcha pra Jesus. Quantas vezes fomos na porta da igreja deles pra atrapalhar o que eles fazem? As pessoas são livres pra seguir sua sexualidade", desabafou a presidente da ATMS (Associação das Travestis e Transexuais de MS), Cristiane Stefanny Vidal.

Na Afonso Pena, nesta manhã apareceu a frase escrita em letras grafais e em cal: "O pecado não se ama. Jesus sim se ama". No cruzamento com a 14 de julho a frase "Jesus Voltará" e na 14 de julho em frente ao ponto de ônibus da praça estava escrito: "Buscai o Senhor enquanto se pode achar".

Todos os anos o evento desperta polêmica e ontem foi inclusive tema de discussão na Câmara dos Vereadores, onde a bancada evangélica votou contra a realização da parada alegando que poderia prejudicar até mesmo o comércio.

A juíza da Vara da Infância, Juventude e Idoso, Katy Braun do Prado, proibiu a participação de crianças e adolescentes menores de 16 anos de idade na parada gay. Adolescentes com idade entre 16 e 18 anos de idade, só poderão comparecer ao evento acompanhado dos pais ou responsáveis.

Para Cris Steffany, a fiscalização da determinação é inviável uma vez que a rua é pública, as lojas do centro estarão abertas e os adolescentes não podem ser impedidos de ir fazer compras no local. Ela refuta, ainda, argumentação de que o evento faria apologia ao homossexualismo. "Está comprovado que ninguém influencia a sexualidade de ninguém. Por que filhos de pais heterosexuais nascem homossexuais? Quem influenciou?", questiona.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions