A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

30/09/2013 18:55

Passageiro recebe quase R$ 8 mil depois de ter bagagem incendiada

Vinícius Squinelo

A juíza titular da 7ª Vara Cível de Campo Grande, Gabriela Müller Junqueira, julgou parcialmente procedente a ação proposta por Jeferson Alberto Souza dos Santos contra a Viação Motta Ltda., condenada ao pagamento de indenização por danos materiais no valor de R$ 644,86 e por danos morais na quantia de R$ 7 mil.

O autor alegou que, no dia 10 de janeiro de 2010, embarcou em um ônibus da empresa ré, saindo de São Paulo com destino a Campo Grande. No entanto, narra que durante a viagem, na madrugada do dia 11 de janeiro, no município de Rancharia (SP), o ônibus começou a pegar fogo. Alega que, quando começaram as chamas, foi usado um pequeno extintor de incêndio que não foi suficiente para apagar o incêndio.

Afirma que o valor da sua bagagem era de R$ 4.333,00 e que, além de tal valor, teve um prejuízo material de 20% sobre o valor da condenação decorrente da contratação de um advogado e sofreu danos morais pelos fatos ocorridos.

Citada, a ré apresentou contestação e se opôs contra o valor mostrado pelo autor em relação á sua bagagem queimada no ônibus e a lista feita pelo mesmo, citando até uma quantia de R$ 500,00 que estaria na mala.

A empresa também contesta os pedidos de danos morais feito pelo autor, alegando que o incêndio foi uma fatalidade. Sobre os danos materiais referentes aos honorários do advogado, afirma que tal escolha é de Jeferson e assim, o mesmo deve arcar com os custos.

Conforme analisou a magistrada, “com efeito, o extravio de bagagem denota falha na prestação dos serviços contratados com a ré, pois esta tem a obrigação de devolvê-la no mesmo local e horário de chegada do passageiro no destino, sob pena de sujeitar-se à reparação pelos danos causados, nos termos do artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor”.

No entanto, quanto ao pedido dos danos materiais, a juíza afirmou que o autor não comprovou quais objetivos efetivamente se encontravam no interior da bagagem incendiada, de modo que “a fixação do dano deve observar o previsto no art. 74, do Decreto nº 2.521/98, que estabelece que a transportadora responde pela indenização de bagagem regularmente despachada até o valor de 10.000 vezes o valor do coeficiente tarifário, no caso de extravio da bagagem”.

Governo altera datas de teste físico de concurso da Polícia Civil
Foram alteradas as datas para realização da avaliação de aptidão física dos candidatos que continuam a participar do conurso público para escrivão e ...
Mega-Sena acumula e prêmio no sábado pode chegar a R$ 39 milhões
A Mega-Sena mais uma vez ficou sem vencer na noite desta quarta-feira (13) e, assim, acumulou. O prêmio pode subir para R$ 39 milhões no sorteio do p...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions