A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

10/12/2009 09:32

Paulista consegue fugir da PF em operação Sede Campestre

Redação

Um traficante de São José do Rio Preto (SP) foi o único fugitivo da Operação Sede Campestre, desencadeada ontem pela Polícia Federal em Mato Grosso do Sul e cidades do interior de São Paulo. De acordo com a delegacia da PF em Ponta Porã, que coordena a operação, 16 pessoas foram presas, cinco veículos foram apreendidos e várias contas bancárias foram bloqueadas. Os nomes das pessoas presas não foram divulgados.

A Polícia Federal tinha dois mandados de prisão para cumprir em São José do Rio Preto. Um dos procurados foi preso, mas o outro conseguiu fugir. O acusado preso seria membro do PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa que agia em parceria com traficantes de Ponta Porã e Dourados no envio de drogas para São Paulo. Com ele foram encontrados cocaína e crack. A quantidade não foi informada pela PF.

Quatro pessoas foram presas em Dourados e outras quatro em Ponta Porã, entre elas o dono de uma farmácia que era usada para lavagem de dinheiro, segundo a PF. Na cidade de fronteira com o Paraguai a PF também autuou em flagrante três homens que já estavam recolhidos no presídio local. Segundo a Polícia Federal, eles eram os responsáveis pelos contatos entre a quadrilha e o PCC. Os agentes federais fizeram buscas nas celas ocupadas pelos membros da facção criminosa.

As outras prisões foram feitas em Araçatuba, Campinas, Jundiaí e São José dos Campos, todas no interior de São Paulo.

As investigações tiveram início há pelo menos sete meses. Nesse período, 14 pessoas já tinham sido presas e seis veículos apreendidos com carregamentos de drogas e de produtos para aumentar a quantidade da droga.

Ontem, a PF mobilizou pelo menos 50 agentes federais nos dois estados para cumprir os mandados de prisão e de busca e apreensão. A ação foi coordenada pela delegacia da PF em Ponta Porã.

O nome da operação faz alusão a um camping no interior paulista, onde a cocaína era armazenada em chalés pertencentes a membros do PCC e "batizada" (misturada com outras substâncias) para aumentar o volume.

STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...
UFGD oferece vagas em 36 cursos de graduação pelo Sisu
A UFGD (Universidade da Grande Dourados) está ofertando 944 vagas em 36 cursos de graduação para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada). As inscrições...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions