A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/06/2011 15:52

Pelo 3º ano consecutivo, MS é estado mais violento para índios

Angela Kempfer
Em Coronel Sapucaia, criança morreu de desnutrição no ano passado, sem atendimento médico. (Foto: Sandra Luz)Em Coronel Sapucaia, criança morreu de desnutrição no ano passado, sem atendimento médico. (Foto: Sandra Luz)

Desde 2008, Mato Grosso do Sul é destaque no Relatório de Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil, lançado pelo Cimi (Conselho Indigenista Missionário). Os dados, divulgados anualmente, colocam o Estado como o mais violento para os índios no País.

Em 2010, 34 indígenas foram assassinados, 56% dos 60 casos registrados em todo o Brasil. Mais uma vez, a entidade lembra que o problema é resultado do que considera “racismo institucional”.

O número de mortes é classificado de genocídio, “pois além de emplacar o maior número de assassinatos, o Estado também registra a maior percentagem de tentativas de assassinatos e demais violações de direitos, como ameaças várias e lesões corporais dolosas”, esclarece o Cimi.

O relatório também reforça que considera a violência como efeito da luta pela terra, agravada pela morosidade das demarcações e superpovoamento das áreas hoje sob posse dos índios.

Além das execuções, o Cimi contabiliza outros 152 índios ameaçados de morte. Os assassinatos não estão diretamente ligados à tensão agrária, são potencializados pelo uso do álcool, mas até esse tipo de ocorrência tem relação com a falta de terra, que leva à falta de perspectivas, avalia o Conselho.

“Foram registrados 33 casos de invasões possessórias e exploração ilegal de recursos naturais disponíveis em terras indígenas”, revela o estudo.

Outra dado alarmante diz respeito a desnutrição, problema amplamente divulgado em 2005, mas que ainda hoje faz vítimas.

Segundo o Cimi, 92 crianças morreram por falta de cuidados médicos ou condições adequadas de saúde da mãe na hora do parto, por exemplo.

O número aumentou 6 vezes se comparado a 2009, quando foram registradas 15 vítimas.

Miséria - Em setembro do ano passado, uma criança de 3 anos teve parada cardiorrespiratória, agravada por quadro de pneumonia, desidratação e desnutrição e morreu sem atendimento médico em aldeia guarani de Coronel Sapucaia.

Por conta de conflitos entre proprietários rurais e indígenas, na área chamada pelos guarani de Kurussu Amba, os órgãos que prestam atendimento às aldeias estavam impedidos de entrar na fazenda. Só depois da morte do garoto, a Funasa retomou o serviço.

No entanto, nesse quesito, o maior drama é verificado no vizinho Mato Grosso. Entre os casos, a situação do povo Xavante é considerada “desoladora” porque 60 crianças morreram, de 100 nascidas vivas. “Todas vítimas de desnutrição, doenças respiratórias e doenças infecciosas”, detalha o Cimi.

No Brasil, o Conselho acredita que mais de 42 mil sofreram pela falta de assistência à saúde e à educação.

O levantamento completo será publicado amanhã no site da organização e comenta “entra governo, sai governo, a ocorrência de violências e violações de direitos contra os povos indígenas no Brasil continua igual“.

Os números da violência contra os povos indígenas pode ser ainda maior, porque o estudo só considera os casos divulgados pela imprensa e as ocorrências registradas pelas equipes do Cimi em 11 escritórios regionais.

Criança indígena morre após atropelamento em rodovia
O indígena Adenildo da Silva Colman, 10 anos, morreu após acidente ocorrido na noite de ontem, na BR-267, entre Guia Lopes da Laguna e Jardim. Ele e ...
Criança indígena é brutalmente assassinada em Amambai
Roberto Aquino Ricarte, de 11 anos, foi brutalmente assassinado em Amambai, a 351quilômetros de Campo Grande, dentro de uma reserva indígena.O garoto...
Criança indígena morre de desnutrição em Amambai
A desnutrição indígena volta a fazer vítimas em Mato Grosso do Sul. Uma criança morreu e outras quatro sofrem com o problema na comunidade Kurusu Amb...
Criança indígena de 11 anos é estuprada em Dourados
Uma criança indígena de 11 anos foi vítima de um estupro na noite de sábado, por volta das 22h, na reserva de Dourados. O acusado também é indígena e...


Até quando continuaremos a tratar mal os nossos semelhantes, sejam eles negros, pardos, índígenas ou brancos?
 
Christiane Mesquita de Almeida em 30/06/2011 11:52:53
Este Cimi é realmente UM LIXO, é de conhecimentos de todos que a população indigena do MS é a segunda maior do país, a primeira e mais relacionada com Não Indios, e a População "Indigena" com maior teor alcoolico do País. Acidentes acontecem Todos os dias com Todos, não aceito generalizar as mortes dos Indios a conflitos rurais.
 
Roberto Morgato em 30/06/2011 04:40:10
Essa noticia nos deixa muito tristes acho que os verdadeiros donos da nossa terra merecem mais respeito.
 
Walter Barros em 29/06/2011 07:35:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions