A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

13/04/2011 09:46

Perto de nomear superintendente, Incra desbloqueia R$ 44 milhões para MS

Fabiano Arruda

Presidente nacional do instituto deu garantia à Fetagri em audiência ontem em Brasília

Ontem, trabalhadores sem-terra fizeram caminhada pelo centro da Capital, cobrando a liberação do dinheiro. (Foto: JOão Garrigó)Ontem, trabalhadores sem-terra fizeram caminhada pelo centro da Capital, cobrando a liberação do dinheiro. (Foto: JOão Garrigó)

O Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) desbloqueou R$ 44 milhões para Mato Grosso do Sul, segundo informações da Fetagri/MS (Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Mato Grosso do Sul). Delegação de 50 sindicalistas esteve ontem com o presidente do Incra, Celso Lacerda, em audiência em Brasília (DF).

Além dos sindicalistas, o governador André Puccinelli também se reuniu com Lacerda. A reivindicação em comum foi a reativação do Incra no Estado e a nomeação de um novo superintendente, que deve sair nesta semana.

Os R$ 44 milhões devem ser aplicados na construção de moradias nos assentamentos, que estão paralisadas desde o final do ano passado, quando escândalo de corrupção interna abalou o instituto em MS.

Os recursos de outros projetos para do Estado, inclusive para vistoria de novas áreas para reforma agrária, também serão liberados. Também houve a garantia que o órgão libere ainda R$ 428 mil para vistoria de áreas para reforma agrária, informa a Fetagri.

“Celso Lacerda nos recebeu, nos ouviu e entendeu o drama que Mato Grosso do Sul vem atravessando com a paralisação das atividades do Incra na região desde que os trabalhos foram interrompidos por denúncias de fraude interna do órgão”, comentou Adão de Souza Cruz, secretário de Política Agrária e Meio Ambiente da Fetagri, que integra a comitiva de MS.

No dia 26 de abril, dirigentes nacional do instituto devem visitar Mato Grosso do Sul para uma reunião com a Fetagri e Ministério Público Federal para discutir alguns assuntos relativos aos problemas locais. Vão discutir também sobre o retorno do fornecimento de cestas básicas para 17 mil famílias ligadas à federação e que estão assentadas ou acampadas no Estado.

“O processo de reforma agrária não pode parar. Se houver irregularidades é preciso sim investigar e punir quem quer que seja”, comentou o presidente da Fetragri/MS, Geraldo Teixeira, segundo informações da assessoria

Integrantes do Movimento Sem Terra devem permanecer acampados no Incra até a quarta-feira
Cerca de 300 representantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) passaram a noite no Incra (Instituto Nacional de Colonização e Refo...
Superintendente do Incra deve ser definido hoje, mas anúncio levará mais tempo
Pode ser definido ainda hoje o nome do novo superintendente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Mato Grosso do Sul. A i...
Sindicalistas da Fetagri vão ao DF nesta 2ª para pedir reativação do Incra em MS
Categoria diz que situação do instituto está “insustentável” no EstadoPelo menos cinquenta sindicalistas, ligados à Fetagri (Federação dos Trabalhad...


ow... cadê aquele motorista que atropelou os ciclistas...
chama ele pra dar um jeito nesse bando de atoa que só sabem atrapalha as vias urbanas
 
Daniel Barbosa em 13/04/2011 10:11:56
É por isso que ninguem quer trabalhar. Chega de paternalismo.
 
JOSÉ PEREIRA FILHO em 13/04/2011 10:00:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions