A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

01/09/2010 09:19

Polícia realiza reconstituição da execução de advogado

Redação

A polícia civil de Costa Rica fará reconstituição do assassinato do advogado Nivaldo Nogueira de Souza, nesta quarta-feira. Os dois suspeitos do crime, David Rosendo da Silva, 27, e Rodrigo Batista Flores, o "Gordo", participarão da reconstituição.

Silva estaria pilotando a morte e Gordo teria realizado os disparos que atingiram Nivaldo, no dia 23 de março de 2009. A reconstituição é acompanhada por peritos criminais e também o promotor e o juiz da comarca do município.

A vítima, de 49 anos, conversava com amigos na lanchonete 'Meu Cantinho', no centro de Costa Rica, quando uma moto com dois homens se aproximou.

O garupa desceu da moto, se aproximou do advogado e deu um tiro à queima roupa na cabeça dele. Nivaldo caiu no chão e o assassino disparou novamente na cabeça do advogado.

David Rosendo fugiu para o Maranhão e se apresentou à Polícia Civil na quinta-feira passada.

Ele disse em depoimento que os mandantes do crime seriam Oswaldo José de Almeida Júnior, 51, conhecido como "Dinho", e o empresário Edoildo Ramos, o "Piá", de 37 anos. Dinho foi preso no dia 27 de abril deste ano e Piá, no dia 17 de maio, pelo envolvimento em uma tentativa de homicídio. Os dois seriam agiotas.

Nivaldo era advogado de Dinho, mas se desentenderam. Após isso, o ex-cliente teria ameaçado várias vezes o advogado.

Ameaças - No começo do ano passado, decidido a matar Nivaldo, Dinho reuniu-se com Piá e Jair Roberto Cardoso para arquitetar o plano. Os dois comparsas ficaram encarregados de contratar os executores e de fazer o pagamento pela morte do advogado.

Piá disse que pagaria R$ 40 mil ao seu funcionário Francisco Pereira Feitosa, vulgo "Chicão", de 27 anos, para que matasse Nivaldo. Chicão disse ter se negado a executar o crime.

Mesmo assim, Chicão tentou contratar David para matar Nivaldo, recebendo R$ 100 mil pelo crime, valor que seria dividido entre os dois. Em depoimento, o mototaxista negou que tivesse aceitado a proposta.

No dia 23 de março de 2009, David aguardava em um bar quando Rodrigo Batista Flores pediu uma corrida até uma lanchonete. Quando desceu da moto no destino pedido, Rodrigo solicitou que David não desligasse o motor do veículo.

O mototaxista viu quando Rodrigo sacou um revólver calibre 38, cano longo e efetuou três disparos, acertando Nivaldo com um tiro na cabeça.

David foi orientado por advogados a fugir depois que recebeu ameaças de Dinho e Piá. Os dois mandantes disseram que iriam matar a filha do mototaxista, que morava no Distrito Federal. Durante um ano e meio ele ficou escondido na zona rural de Barra do Corda no Maranhão, onde tinha uma granja.

Em abril deste ano, a polícia prendeu Hilton Costa Silva, vulgo Campina Verde de 43 anos, por ter tentado matar Rodrigo Flores a facadas.

A tentativa de homicídio era na verdade uma "queima de arquivo", segundo a polícia. Campina Verde confirmou que a morte de Rodrigo havia sido encomendada por "Dinho" que pagaria R$ 3 mil pelo crime.

Com informações do site Hora da Notícia

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions