A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

05/06/2009 18:09

Prefeitura tem mais 12 projetos de mobilidade urbana

Redação

Além do projeto de corredores de ônibus e passagens subterrâneas, a Prefeitura Municipal de Campo Grande tem mais 12 projetos de mobilidade urbana, que prevêem investimentos de R$ 548,1 milhões, segundo o secretário municipal de Infra-estrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco.

O mais caro dos investimentos previstos é o VLT (Veiculo Leve sobre Trilhos), que poderá custar R$ 203 milhões. O veículo interligará o Aeroporto Internacional de Campo Grande, na saída para Aquidauana, passando pelas avenidas Duque de Caxias e Fábio Zahran (Via Morena), ao Estádio Morenão, na saída para São Paulo.

O moderno projeto de acessibilidade na região central prevê investimento de R$ 113 milhões no recapeamento das vias públicas e padronização das calçadas. Portadores de deficiência serão contemplados com o novo sistema no quadrilátero formado pelas avenidas Mascarenhas de Moraes, Eduardo Elias Zahran, Tamandaré e Ceará.

A Via Morena teria uma terceira fase, orçada em R$ 34 milhões. A obra ampliará a via da Avenida Costa e Silva, perto do Atacadão, até a Estação Ferroviária Manoel Brandão, no Bairro Coopharádio. A primeira fase já está concluída, entre as avenidas Costa e Silva e Fernando Corrêa da Costa. A segunda interligará o aeroporto à Afonso Pena.

Duas obras de urbanização dos córregos terão continuidade. A do Córrego Segredo terá uma terceira fase, fazendo com que a Avenida Ernesto Geisel chegue à saída de Cuiabá, próximo do Shopping Iguatemi, que já teve a pedra fundamental lançada. Este projeto prevê investimento de R$ 19 milhões. Este custo não considera a obra já em execução, que ampliará a Avenida Norte/Sul ao Conjunto Estrela do Sul.

O outro é o Córrego Bálsamo, que interligará a Avenida Guaicurus ao macro anel viário, na saída para Três Lagoas. O projeto de R$ 46 milhões prevê uma outra alternativa para o fluxo de ônibus do novo terminal rodoviário da Capital, que deverá entrar em funcionamento em novembro deste ano.

A prefeitura ainda inclui a construção de 200 quilômetros de ciclovias (R$ 23 milhões), pavimentação do acesso às Moreninhas e prolongamento da Avenida Guaicurus até o Bairro Tarumã (R$ 55 milhões) e o controle por computador de todos os cruzamentos semafóricos da Capital (R$ 34 milhões).

O custo total dos 13 projetos é de R$ 696.986.170,13. O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) afirmou que a meta é buscar recursos no Governo federal e concluí-los até 2012.

Carro roubado no RJ é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...
Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions