A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Março de 2019

15/01/2019 15:18

Presa em operação do Gaeco contra tráfico diz ter cargo em prefeitura

Nesta segunda-feira (14), Tatiana tinha contra si um mandado de prisão preventiva e ainda de busca e apreensão; ela, contudo, também foi flagrada com droga por equipe do Batalhão de Choque que vasculhava seu guarda-roupa

Anahi Zurutuza
Tatiana Barroso posa para foto (Foto: Facebook/Reprodução)Tatiana Barroso posa para foto (Foto: Facebook/Reprodução)

Presa na Operação Themis, Tatiana Barroso Ferreira de Souza Amede, de 39 anos, estava em liberdade desde o dia 30 de outubro do ano passado. Ela já havia sido flagrada “trabalhando como batedora” de veículo que transportava 231,95 kg de maconha.

Nesta segunda-feira (14), Tatiana tinha contra si um mandado de prisão preventiva e ainda de busca e apreensão. Mas o Batalhão de Choque também encontrou drogas em seu guarda-roupa.

Ela foi levada para a 3ª Delegacia de Polícia e segundo o auto de prisão em flagrante disse que só falaria em juízo. Depois, foi transferida para o Estabelecimento Penal Feminino de Três Lagoas.

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), responsável pela operação que também contou com a participação do Choque, da Corregedoria da PM (Polícia Militar) e da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), não detalhou a participação dela no esquema de tráfico de drogas investigado na força-tarefa.

A primeira prisão de Tatiana, no entanto, foi no dia 23 de outubro, na BR-463, próximo a Laguna Caarapã. Ela dirigia um Peugeot 206 que segundo consta em boletim de ocorrência era usado na retaguarda de um Ford Fiesta abarrotado de maconha.

No dia 30 de outubro de 2018, ela teve a prisão preventiva convertida em domiciliar porque é mãe de uma criança de 4 anos.

Erick Lourenço posa para foto (Foto: Facebook/Reprodução)Erick Lourenço posa para foto (Foto: Facebook/Reprodução)

Ligação – Embora na documentação anexada ao auto de prisão não conste o estado civil da mulher alvo do Gaeco, no Facebook, ela diz ser casada com Erick Lourenço Raiberger desde 5 de junho de 2016. Ele também teve a prisão preventiva decretada pela Justiça por consequência da Operação Themis.

O rapaz de 20 anos está preso em Ponta Porã, onde um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido nesta segunda-feira. Erick foi flagrado também na BR-463 transportando 78,3 kg de maconha e 4,5 kg de skunk em uma Fiat Strada, em agosto do ano passado. Na época, à polícia ele disse que receberia R$ 5 mil para levar a droga até São Paulo (SP).

Tatiana posa para foto com a vereador Marisa Rocha (Foto: Facebook/Reprodução)Tatiana posa para foto com a vereador Marisa Rocha (Foto: Facebook/Reprodução)

Contato político – À polícia, em outubro do ano passado, a presa disse que trabalhava em um rancho em Três Lagoas, também conforme consta nos autos do processo contra ela. Mas, no Facebook, ela se identifica como funcionária do Departamento Municipal de Trânsito da Prefeitura de Três Lagoas. A mesma diz que está no emprego desde 31 de janeiro de 2014.

Via assessoria de imprensa, a Prefeitura de Três Lagoas informou que Tatiana deixou a função em 2017.

Tatiana tem ainda ligação com a vereadora Marisa Rocha (PSB) e é filiada ao partido da mesma desde março de 2016. Na rede social, ela já prestou várias homenagens à figura política da cidade, tem fotos como cabo eleitoral e na posse da parlamentar em 2017.

A reportagem tentou falar com a vereadora, que já teve o nome ligado a uma apreensão de drogas, mas o celular dela estava desligado.

Gaeco em frente à 3ª DP (Delegacia de Polícia) de Três Lagoas, para onde presos foram levados (Foto: Ricardo Ojeda/Perfil News)Gaeco em frente à 3ª DP (Delegacia de Polícia) de Três Lagoas, para onde presos foram levados (Foto: Ricardo Ojeda/Perfil News)

Operação - Segundo o Gaeco, a operação foi deflagrada para apurar a prática dos crimes de organização criminosa, coação no curso do processo, violação de sigilo, associação para o tráfico e tráfico de drogas.

Durante a ação, foram cumpridos três mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão nos municípios de Três Lagoas, Campo Grande e Ponta Porã.

No decorrer da manhã, equipes da Operação Themis cumpriram mandados de busca e apreensão em celas de presídios de Campo Grande e Ponta Porã e no Batalhão da PM (Polícia Militar) de Três Lagoas, além das casas e locais de trabalho dos envolvidos.

O Campo Grande News também tentou contato com o advogado Juliano Rocha de Moraes, que consta como representante de Tatiana no processo aberto em 2018, mas ele informou que não podia atender a ligação.

Matéria editada às 20h18 para acréscimo de informação a pedido da Prefeitura de Três Lagoas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions