A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

17/11/2012 08:15

Segurança monitora ataques, mas diz que MS está fora de risco

Viviane Oliveira
As autoridades policiais afirmam que estão monitorando a situação com rigor. (Foto: Minamar Júnior)As autoridades policiais afirmam que estão monitorando a situação com rigor. (Foto: Minamar Júnior)

A notícia de que havia um foragido de São Paulo por envolvimento nos ataques a policiais que estão ocorrendo na capital paulista acendeu uma luz de alerta: Mato Grosso do Sul corre algum risco, como ocorreu em 2006, quando a onda de violência em São Paulo teve reflexos por aqui na forma de rebeliões jamais vistas.

Ouvidas pelo Campo Grande News, autoridades de segurança dizem que estão monitorando a situação em São Paulo e em Santa Catarina e que, por enquanto, não há indícios de problemas por aqui.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Jorge Razanauskas, apesar de cada cidade ter uma realidade diferente, a Polícia está monitorando para não ser pega de surpresa. “Nós estamos preparados e monitorando tudo o que está acontecendo em outras cidades”, disse.

De acordo com o delegado, quando o Estado reprime de uma forma mais acentuada é natural que a criminalidade migre para outros lugares.

O diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração Sistema Penitenciário), Deusdete Oliveira, disse que o órgão acompanha o monitoramento do setor de inteligência da Polícia Militar e Civil e até agora não tem nada que mostre uma eventual situação nesse sentido.

“Hoje a Agepen está acompanhando parte desse serviço que monitora a onda de violência e, até agora em Mato Grosso do Sul está tranquilo”, afirma.

O Campo Grande News apurou que o serviço de inteligência da Polícia Militar está em alerta, intensificando o monitoramento e o policiamento ostensivo. O assunto é tratado todos os dias com todas as forças policiais.

Onda de ataques em SP e SC - Desde o início do ano, ao menos 92 policiais foram assassinados no Estado de São Paulo. Desse total, 18 eram aposentados e três estavam em serviço. Além disso, o Estado continua enfrentando um grande índice de violência. 

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, só na capital houve um crescimento de 102,82% no número de pessoas vítimas de homicídio no mês de setembro, em comparação ao mesmo período do ano passado. Em todo o Estado, a alta foi de 26,71% no mesmo período. Outro fato preocupante é que a violência chegou a Florianópolis mesmo sem diminuir na capital paulista.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions