A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

09/08/2012 12:26

Servidores entram com ação no STF contra Governo e prometem acampar em Brasília

Paula Maciulevicius
Segundo o diretor Sérgio Ronaldo, o último recurso dos servidores é acampar em Brasília para pressionar Governo. (Foto: Rodrigo Pazinato)Segundo o diretor Sérgio Ronaldo, o último recurso dos servidores é acampar em Brasília para pressionar Governo. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Os servidores federais protocolaram no fim da manhã de hoje a ADIN (Ação Direita de Inconstitucionalidade) contra o decreto que autoriza os órgãos que estão com servidores em greve a substituição por funcionários estaduais e municipais, no STF (Supremo Tribunal Federal). A informação é do diretor da Condsef (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal), Sérgio Ronaldo da Silva.

“O conjunto de 31 unidades de caráter nacional protocolou a ação e também entrou com representação da OIT (Organização Internacional do Trabalho) contra os atos antisindicais que o Governo está fazendo”, explicou.

Sérgio Ronaldo esteve presente na passeata dos servidores que saíram da rua Padre João Crippa e foram até a Barão do Rio Branco, em ato unificado de todos os órgãos paralisados.

Segundo o diretor, o último recurso dos servidores é a saída de caravanas de todos os estados para acampar em Brasília, em frente ao Ministério do Planejamento. “Na próxima semana o Governo Federal deliberou que vai dar retorno às pautas reivindicadas, mas vamos para fazer pressão”, disse.

A Condsef estima que 20 mil servidores irão até Brasília. A direção da Confederação ainda participou de reuniões com órgãos que ainda não entraram em greve, para que façam adesão ao movimento.

“A tendência daqui para semana que vem é que a greve tome mais corpo do que já existe. Entre os dias 13 e 17, vamos debater com outros setores que ainda não incorporaram para dar reforço”, enfatizou.

Em Mato Grosso do Sul estão em greve Incra, Funai, IBGE, DPNM (Departamento Nacional de Produção Mineral), UFMS, Anvisa, MAPA, Polícia Federal e ainda estão em estado de greve a Funasa e em operação padrão a Receita Federal. Em todo País, dos 637 mil servidores ativos, 350 mil estão em greve.



O Brasil não pode mesmo parar. Mas quem trabalha merece salário justo e digno. Merece ter atendidas as condições satisfatórias para o exercício da profissão. Merece um plano de carreira decente, etc, etc. Meu desejo é que esses "heróis brasileiros" se mantenham firmes nessa luta até que tenham suas justas reivindicações atendidas. É isso. ass: Fernando (SGT PM)
 
Fernando Silva em 09/08/2012 06:44:00
Com todo o respeito ao direito de greve: mas o Brasil não pode parar. Alguma coisa tem que ser feita.
 
Jose Alfredo de Melo em 09/08/2012 04:06:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions