A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/02/2009 09:32

Três estão presos e 6 identificados por roubos a bancos

Redação

O trabalho de investigação do Garras sobre os assaltos a bancos ocorridos na região Norte de Mato Grosso do Sul, no ano passado, já resultaram na prisão de três suspeitos e identificação de outros seis.

Os nove são suspeitos de envolvimento no roubo à agência do Banco do Brasil de Alto Taquari, no início deste mês, e alguns deles teriam participado dos assaltos em Costa Rica e Pedro Gomes, no ano passado, conforme explicou o delegado do Garras, Ivan Barreira.

Após o roubo na cidade mato-grossense, que fica próxima a divisa com Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais, foi montada uma força-tarefa para captura dos suspeitos, já que a informação era de que o bando havia fugido para a cidade de Costa Rica.

Desde então, policiais dos três Estados, incluindo Garras e Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) fazem um cerco na região, que é de serra e muito mato.

A operação em Costa Rica resultou na prisão de Nelson Bento Santos, 52 anos, Cláudio Petrônio Ramos, 28 anos, e Marcos Aurélio Macedo de Brito, 31 anos. A informação inicial é que eles não têm participação efetiva nos roubos. A função deles era resgatar os demais integrantes que ainda estão escondidos, e que invadiram as agências.

Os presos - O primeiro a ser preso foi Nelson, que está internado na Santa Casa. Ele tem diabete, machucou a perna durante a fuga e por conta disso precisa de atendimento médico.

Nelson foi preso por volta de 11 horas do dia 23 na região conhecida como Bolicho Seco. Ele foi o primeiro enviado pela quadrilha para resgatar os demais integrantes, no entanto, na madrugada do dia 20, policiais de Goiás faziam uma barreira na região quando avistaram uma caminhonete S-10 com os faróis apagados.

Quando seguiram em direção ao carro, Nelson, que a conduzia, aumentou a velocidade, retornou e conseguiu fugir. Mas, abandonou o veículo e jogou no asfalto sacolas com quatro carregadores e 64 munições de calibre 762. Munições do mesmo calibre das armas utilizadas nos roubos aos bancos.

Três dias depois, Nelson foi preso, após pedir ajuda em uma fazenda devido ao estado de saúde. Depois de pedir ajuda, ele se escondeu no galpão. Policiais foram avisados e ele foi preso, sendo autuado em flagrante por porte ilegal de munição de uso restrito, formação de quadrilha e bando e roubo.

No mesmo dia, o Garras prendeu Cláudio, na MS-306, na região conhecida como Baús. Ele conduzia a Montana de placa de Aparecida de Goiânia, Goiás, que está apreendida. Cláudio foi autuado por formação de quadrilha e bando.

De acordo com o Garras, antes de resgatar os comparsas, cabia a Cláudio dar fuga aos demais no assalto ao banco de Alto Taquari.

Já na madrugada dessa quinta-feira (26), foi preso Marcos. Ele conduzia um Corsa e foi flagrado nas proximidades do trevo que liga Mineiros, Goiás, a Costa Rica.

Alguns dos demais suspeitos identificados já estão com a prisão preventiva decretada. O dinheiro roubado ainda está com a quadrilha.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions