A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 25 de Abril de 2018

30/01/2018 11:19

UFMS estreia banca para validar reivindicação de vaga por cota racial

O candidato é fotografado e o enquadramento na cota é determinado pelo fenótipo

Aline dos Santos
Entre hoje e amanhã, 1.400 candidatos devem passar por avaliação. (Foto: Marcos Ermínio)Entre hoje e amanhã, 1.400 candidatos devem passar por avaliação. (Foto: Marcos Ermínio)

Com políticas de cotas desde 2012, a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) estreia em 2018 uma nova etapa antes da matrícula para quem se declarou preto ou pardo.

Entre hoje (dia 30) e amanhã (dia 31), 1.400 candidatos devem passar pela Banca de Avaliação da Veracidade da Autodeclaração em Mato Grosso do Sul. Antes, a pessoa que se inscreveu pela cota racial apenas apresentava a autodeclaração e efetuava a matrícula se atingisse a nota de corte.

Segundo a chefe da Divisão de Acessibilidade e Ações Afirmativas da UFMS, Mirella Villa, a banca foi realizada pela primeira vez no ingresso da seleção de Inverno, mas a verificação foi feita depois da matrícula.

“Fomos aprimorando e agora estamos fazendo todas as avaliações antes da matrícula. Isso é em benefício do candidato. É muita gente falando das cotas, sobre fraudes”, afirma.

A banca é composta por três pessoas, com representantes de movimentos negros e funcionários que passaram por formação no mês de novembro. O candidato é fotografado e o enquadramento na cota é determinado pelo fenótipo.

“O que é o fenótipo? É o visual. No genótipo, entra a ascendência, porque minha mãe é negra, meu pai é negro. Isso não faz diferença na nossa avaliação. A nossa avaliação é do fenótipo”, diz.

A lista com os deferidos e indeferidos deve ser publicada no dia primeiro de fevereiro. Os candidatos deferidos poderão realizar matrícula. Quem receber uma negativa tem o prazo de 2 a 5 de fevereiro para apresentar recurso. O período de matrículas dos aprovados no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) vai de hoje a 7 de fevereiro.

O candidato que recorrer vai passar por uma outra banca, também composta por três pessoas. Se mantida a decisão, ele perde a matrícula. Conforme Mirella, a UFMS oferta cotas sociais para todos os cursos, inclusive Medicina e Direitos.

Isso é em benefício do candidato, diz Mirella, sobre nova etapa antes da matrícula. (Foto: Marcos Ermínio)"Isso é em benefício do candidato", diz Mirella, sobre nova etapa antes da matrícula. (Foto: Marcos Ermínio)

Mas a inclusão ainda precisa de avanços para se tornar mais visível.

“A divisão trabalha todo ano com levantamento de dados. Os dados que tínhamos até o semestre passado era que a coisa estava acontecendo. Mas se você chega numa sala do curso de Medicina, mais concorrido, a maioria é branca. Agora, nós vamos fazer essa avaliação e temos certeza que vamos perceber sim”, salienta.

Mais informações sobre as bancas podem ser obtidas por meio do e-mail diaaf.proaes@ufms.br e dos telefones (67) 3345-7914 e 7908.

Participantes – Na internet, a UFMS divulgou quem deve comparecer à banca antes de realizar a matrícula:

 Candidatos autodeclarados pretos ou pardos, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012);

Candidatos autodeclarados pretos ou pardos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012);

Candidatos com deficiência autodeclarados pretos ou pardos, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012);

Candidatos com deficiência autodeclarados pretos ou pardos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions