A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

13/07/2012 17:47

Universidade demite mais de 100 e professores reclamam de irregularidades

Mariana Lopes e Luciana Brazil

Mais de 100 professores de EAD (Ensino à Distância) da Universidade Anhanguera Uniderp, em Campo Grande, estão sendo demitidos pela instituição. Com a decisão comunicada, eles reclamam de irregularidades.

Os professores afirmaram ainda que não ganhavam hora extra, além de receberem R$10 a menos por hora/aula.

Segundo um dos profissionais demitidos, muitos alunos ficarão sem nota e cerca de 30% não vão colar grau. “Os alunos já estão desesperados e tudo acarreta um mal estar", pontua o professor.

Ele denúncia também que “a direção da universidade nem justificou a demissão em massa e ainda fez pouco antes das férias, que é um período ruim para procurar emprego”, enfatiza o professor.

Porém, outro problema explodiu com a demissão dos professores. Segundo eles, o acordo entre a Anhanguera e o Sintrae/MS (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino no Mato Grosso do Sul) era que o pagamento por hora/aula dos professores seria de R$ 24,11 e o dos mestres R$ 35.

No entanto, os docentes recebiam atualmente R$ 14,25. “Precisamos resguardar os direitos básicos deles, equipará-los aos professores de ensino superior”, diz o presidente do Sintrae, Ricardo Martinez Froes.

De acordo com os professores demitidos, muitos estão entrando na Justiça para receber as horas extras e os valores retroativos às horas/aulas. “Estamos convocando os professores a compareceram ao sindicato para pleitear o valor correto da hora/aula”, afirma Ricardo.

Ao ser procurada pela reportagem do Campo Grande News, a coordenadora pedagógica do EAD, Gleice Cristina Lubas Grilo, disse que apenas a assessoria de imprensa da instituição pode se manifestar sobre o caso.

Em nota, o Grupo Anhanguera Educacional alega que o desligamento dos professores faz parte da reestruturando do modelo de Educação a Distância da instituição. “As mudanças proporcionarão mais qualidade acadêmica e de atendimento aos alunos”, destaca a nota.

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


Onde esta o sindicato para resguardar os direitos de professores tutores...a anhanguera esta fazendo o que quer e prejudicando a classe, estão humilhando os professores , é uma vergonha o que estão passando e ninguem faz nada, é um absurdo , que a justiça seja feita e os professores possam ser valorizados algum dia, quem paga por isso são os alunos que vao ficar em tutores para estudar
 
Jerferson D Faria em 16/07/2012 12:21:51
Estão acabando com a Educação no Brasil. O FIES garante as mensalidades do acadêmicos, por isso as Universidades particulares não estão preocupadas em formar os cidadãos c/ qualidade. Vários bons professores estão sendo demitidos para contratarem novos com objetivo de pagar menores salários. Imaginem que tipo profissionais teremos no futuro? E mais não reprovar ninguem igual nas escolas públicas
 
Arlete Ribeiro em 15/07/2012 09:16:44
Acho falta de respeito com os profissionais que lá estão (estavam) e principalmente com os alunos que estudam via modalidade EAD, quero ver se a Anhanguera (valinhos-sp), vai dar conta de feedback aos alunos com descencia, deveria ser denunciado essa atitude ao MEC, pois já esta prejudicando muitos alunos...
 
SIMONE NUNES em 14/07/2012 10:35:23
Se a universidade valorizasse msm a educação não demitiria o alicerce de ensino que é o professor. O q vemos é a constante desvalorização da qualidade para a substituião pela qtdd. O engraçado é q existem cursos ead com mais de 30 mil alunos, como eles irão ficar sem os tutores? Foi só o mec vir e aprovar a instituicao q a anhanguera demitiu os prof. Vemos cm somos descartaveis p as inst privadas
 
Ligia falcon em 14/07/2012 07:59:41
será que ja é hora do juizo final,hora do arrebatamento,então cuidemo-nos JESUS ESTA VOLTANDO ,as PROFECIAS DO APOCALYPSE SE CUMPRE,estamos na era da tribulação , é a nova ordem mundial se adequando ao go v e rno e c o nom i c o
 
ariel vargas de oliveira em 14/07/2012 05:40:17
Engraçado a dois semestres atras aconteceu uma demissão em massa tambem com a mesma desculpa. quem vai pagar o pato vai ser os alunos alem da descvriminação dos cursos EAD agora essa
 
PAULO HENRIQUE em 13/07/2012 06:22:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions